INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Mamã não gosta!

Querem ver que o Pedrinho fofo me está a começar a lixar o esquema todo... aiaiai!
Então não é que quando o puto come distraído pelos movimento, conversa, caras e brincadeiras de outras pessoas, come como uma debulhadora, sempre a eito e a bom ritmo, sem deixar escapar nada, mas quando come sossegado no recato do lar, só ele e mamã querida, em silêncio e calma, como se quer, me arma um pranto entre colheradas, que mais parece que o estão a torturar com a sopa? É vê-lo lavado em lágrimas, a tombar a cabeça, tremendamente infeliz, chora chora, pára, enfia mais uma colher boca dentro e retoma o choro copiosamente... E eu a ver o espetáculo, que se lhe digo alguma coisa, se o afago, se o chamo, se o distraio, fica pior. Por falar em pior, se ele ao menos só chorasse, tratava de orientar-me uns tampões para os ouvidos e siga para bingo, mas o pior é que esbraceja, baba sopa e suja tudo. Isso é que não, desperdiçar a sopinha boa feita com o suor do meu rosto! Estou doida.
Hoje tive a prova dos nove. Enquanto Sua Excelência derretia de choro, em plena sopa, telefonei ao pai sortudo que consegue escapar ao espetáculo deprimente, só para falar com pessoas adultas, relativizar o meu drama e evitar um infanticídio. Pois estava eu a mandar vir contra a minha sorte quando o puto pára, muito atento, muito interessado na conversa e toca a engolir, uma e outra e mais outra colher de sopa, sem mais. Ai o malvado! Ficam as minhas dúvidas tiradas, é mesmo birra! É que nunca excluía a hipótese de serem cólicas, de a sopa estar demasiado quente, de estar desconfortável na cadeira, de ser uma reacção rara a algum alimento, sei lá! Mas não, é mesmo da cabeça do petiz. Os deuses do lar me dêem paciência, que agora não vou fazer o pino, nem recitar os Lusíadas aos berros para distrair o Pedro. Duras jornadas se avizinham, vou ter de o vergar sem circo, que sorte a minha.

<3 Start as you mean to go on <3 Start as you mean to go on <3

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Pregnant in Heels

Soube neste blog da estreia recente de uma série para lá de espectacular, Pregnant in Heels!

Porque um reality show que misture mulheres, grávidas, americanas, nova-iorquinas, ricas e a viajar na maionese, tem obrigatoriamente que dar um óptimo produto de entretenimento, só visto!

Só para terem uma ideia, neste reality show segue-se o dia-a-dia de uma concierge de grávidas (???? Bom, na verdade, se eu fosse filthy rich também contrataria uma concierge de grávidas, só naquela), a qual tem como clientes no primeiro episódio um casal maravilha que move mundos e fundos para descobrir o melhor nome para o seu filho e outro casal que está em negação total, a poucas semanas do parto, sem uma única peça de roupa sequer para receber o seu cachopo. Estes gringos...

Eis o primeiro episódio

E o segundo episódio

O Cúmulo da Mãe-Corujisse

O meu filho adorado arrota e cheira-me a sopa.

...

Eu acho fofinho...

Estou tramada com isto de estar perdidamente apaixonada pelo meu filho.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Descubra a Única Diferença



O preço! O design é o mesmo, "O" clássico da sandália infantil, que o Pedro vai usar, os materiais são os mesmos, mas, enquanto a primeira sandália custa €54,00, na Jacadi, a segunda custa €22,90, num Jumbo perto de si.
Quem disse que para ser bom e bonito, tem de ser caro?

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Orgulho da Mãe!

Este Sábado foi dia de festejar o aniversário da Rica Sobrinha I, a primogénita. Lá fomos, todos lampeiros, para a nossa primeira festinha de anos de pleno direito, com filhinho e tudo. O dia todo em festa, como se quer.
É sempre bom celebrar, marcar um dia tão importante como um aniversário, junto daqueles que são mais importantes para nós. A algazarra da miudagem, a conversa dos adultos, os comes e bebes, o "Parabéns a Você", o cansaço e a alegria, faz tudo parte e faz tudo muito bem à vida e à alma. A alegria estampada no rosto da minha Rica Sobrinha I enquanto via todos à sua volta cantar os "Parabéns" foi o melhor da festa, priceless.
Claro que a minha maior preocupação era a sanidade mental e física do meu cachopo tão pequenino no meio de meninos tão crescidos (de três a cinco anos, upa upa), e adultos tão cheios de mãos a quererem agarrá-lo e abaná-lo e falar-lhe e tudo o mais a que tivessem direito. Todas as sestas foram à vida, toda a paz à hora das refeições ficou ao largo e eu só antevia o momento em que o Pedro começasse enfim a chorar desalmadamente, a pedir em crescendo desespero que o deixassem em paz, que o tirassem daquele filme, que o pusessem na sua caminha. É que quando o Pedro está cansado e chega a um ponto de ruptura, ele abre as goelas e vai tudo à frente, é de fugir.
Mas, para grande surpresa minha, o miúdo portou-se que foi uma maravilha. Comeu bem, sem sujeirada e fitas. Passou pelas brasas duas vezes e, de entre o barulho e quinze minutos de sono, saía com as baterias carregadas para mais emoções. Passeou de braços em braços sempre sorridente e bem disposto, fez festa, riu-se muito e quando choramingava, exausto, eu ou o paizão minoravamos os danos, pondo-o logo mais bem dispostinho. Enfim, melhor não se podia ter portado. Eu e o pai ficámos inchados de orgulho e aliviados por não ter havido stress da nossa parte.
Se vale alguma coisa, acho que três coisas contribuíram para ele se ter aguentado nas canetas: o choque e deslumbramento de estar num ambiente tão diferente, a ouvir e ver tanta coisa nova pela primeira vez; o facto de ainda assim ter havido um resquício da sua rotina, porque as refeições foram todas à hora certa e, por fim, o facto de ele ter um dia-a-dia tão descansadinho, com sonos tão bons e longos, que lhe permite ter uma espécie de "banco de horas" para estas ocasiões especiais.
Quando o dia finalmente acabou, às duas da madrugada, o Pedro caiu redondo na caminha dele e desmaiou de sono. Nós também. Por incrível que pareça, às sete da matina, já ele estava pronto para um novo dia, como sempre. Nós não...

domingo, 17 de abril de 2011

Maravilhas do Casamento

Sabes que são um casal MUITO despistado quando querem ir de Campo de Ourique ao Bairro de São Miguel e vão parar...

... à ponte 25 de Abril.

Com GPS!

Aviso à Navegação

Ontem andou à solta por este meu blog uma besta com o número de arreios 178.166.118.#, a qual, anonimamente claro está, andou por aqui a espalhar asneiras. Eu, como gosto pouco de porcarias, providenciei pela limpeza do meu espaço e montagem de uma singela cancela para barrar futuras invasões indesejadas da minha caixa de comentários. Bloggers de bem, se alguma de vós fizer ideia de quem seja a besta com IP 178.166.118.#, agradeço o contacto, de resto, desejo-vos caixas de comentários livres de assaltos ao bom gosto, bom nome e inteligência dos seus usuários. Eu falo por mim, não admito que venham zurrar, balar ou grasnar no meu chazinho, porque não pretendo rodear-me de animais, mas sim de pessoas com espinha dorsal vertical e neurónios produtivos. E farei a minha parte ao denunciar esse tipo de situações, porque tolero muito mal faltas de urbanidade e educação. A atitude de bloggers responsáveis e zelosos dos seus espaços não deve ser "quem anda à chuva molha-se" ou "quem tem um blog público arrisca-se", mas sim, "quem usa o anonimato para o mal, não será tolerado, mas sim barrado e combatido". Making the www. a better place. Peace.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Os meninos são homens pequeninos

Se ele come uma colherada de fruta sem deitar fora, mamã faz festa, diz "Lindo, Bebé" e ele ri-se, todo contente.
Se ele come meia colher de fruta porque cuspiu a outra metade e leva as mãos à cara e suja tudo, mamã faz má cara, diz "Mamã não gosta" e ele ri-se, todo contente.

Bebé Pedro, vamos combinar: se a mamã faz má cara e diz com voz grossa "Mamã não gosta!", é porque a mamã... não gosta! Não há aqui qualquer mensagem subliminar, não é um "não" que significa "sim", não estamos a brincar, ou a fazer género. Não é para rir! É para fazer um ar arrependido e pesaroso e comer a fruta sem sujeirada, está bem?

O mesmo vai para puxar o cabelo da mamã, com as devidas adaptações...

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Piroso ou Giro?

Knot

Ando com ganas de vestir os meus meninos de igual para a praia!
Acho super gira a ideia de pai e filho com calções de banho iguais, tip tip tip, os dois a passear pela praia. Mesmo que seja piroso, forçado, whatever. Sem exageros de guarda-roupa completo, mas calções de banho, siiim!
Que achais?

domingo, 10 de abril de 2011

Primeiro Dentinho!

Estava o miúdo no seu passatempo preferido, meter cenas na boca, quando lá vão parar os meus dedos. De repente, sinto um "raspa raspa" muito subtil. Vejo, era um dentinho a espreitar, que emoção! Aos seis meses, o primeiro dente. É mesmo um textbook, este meu baby...

Se eu tenho saudades da minha barriga?



NO WAY!!

sábado, 9 de abril de 2011

Enquanto o Pedro for pequenino

Vou aproveitar bem as suas pernocas gordas e a sua barriguinha rodonda e enchê-lo de fofos. É a minha única oportunidade de vesti-lo como um bebé, vou aproveitá-la ao máximo!

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Seis meses

Todos os dias eu olho para o meu filho e penso na tremenda sorte da nossa pequena família. Todos os dias.
Por isso, hoje eu tenho que agradecer por escrito. Não sei a quem, mas sei o quê.

Agradeço o Pedro ter sido gerado, a gravidez ter corrido tão bem, o Pedro ter nascido tão bem, ser um bebé tão saudável, tão feliz, tão satisfeito.
Agradeço não termos obstáculos inultrapassáveis na nossa vida.
Agradeço termos saúde, amor, família, amigos, liberdade, trabalho, dinheiro. Nada nos falta.
Não conhecemos guerras, nem desastres, nem tragédias.
A nossa felicidade depende de nós e está ao nosso alcance, nada nos impede de a alcançar. O que não corre bem no nosso dia-a-dia são peanuts.
Somos felizes, neste preciso momento.

A única coisa que eu ainda peço é tempo. Mais seis meses e outros seis e mais seis e ainda mais, todos os possíveis.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Na pele do meu bebé


Os meninos são homens pequeninos

Troco a fralda cheia de cocó por uma sequinha e cheirosa. Deito o meu bebé lindo para a sesta da tarde e ele deixa-se ficar, estafado de mais uma aventura almoçarada e muita brincadeira. Duas horas depois volto, sossegando o choramingar que pedia que o viessem resgatar dos lençóis para o lanche. Mal eu entro no quarto abate-se sobre mim uma parede de mau cheiro, uma fedorência bestial. Tinha esquecido a fralda suja em cima do muda fraldas, não a levei para o caixote "especial cocó", que fica no andar de baixo! "Oh não, deixei o meu doce baby aqui largado no meio deste bedum, deve ter acordado mal, tadinho, que mau soninho deve ter tido, meu pobre bebé, mamã está aqui..."

Qual quê, fresco que nem uma alface, o meu baby estica os bracinhos todo contente e abre aquele sorriso de quem dormiu como um anjinho e está super confortável. No meio da pestilência, a meio metro do cocó, o meu menino dormiu o melhor dos sonos.
Homens... quando chega a hora de dormir, nada os acorda, nada os incomoda, é deitar a cabeça e até já...

terça-feira, 5 de abril de 2011

Mas será possível...

... que o Pedro prefira comer a sopa fria do que a fruta fresca? Estou doida! E ele!

Eu fico muito contente que o cachopo adore a sopa e goste de papa, mas custava muito também fazer marchar a fruta goela abaixo? É que de dia para dia vai fazendo esgares cada vez mais requintados ao mínimo contacto com qualquer peça de fruta, seja maçã ou pêra (amanhã estou para ver como anda a banana), fica numa agonia tal que eu até tenho de provar a fruta não vá ela estar azeda ou ácida ou podre, sei lá. E não está nada, claro, está o mais saborosa possível e bem passadinha. De dia para dia está pior, só melhora (e não muito) quando a fruta está aquecida, mas eu não quero voltar à fruta cozida, porque a fruta quer-se crua, olha que esta! Entre as nossas resistências, quem mais sofre é mesmo a pobre fruta que depois de entrar volta a sair e vai parar ao babete, às mãos, à cara, à cadeira, a mim, a todo o lado menos onde deve.
Corrijo, quem mais sofre sou mesmo eu, que além de levar com fruta na roupa ainda tenho de aturar estas fitas ao puto, insistir, esperar, aquecer, esperar, misturar sopa na fruta, fruta na sopa, alternar uma colher de uma e outra de outra, começar com a fruta, parar a sopa a meio, fazer má cara, fazer festa, fazer pontaria, limpar o puto, limpar a mim, limpar a cadeira... e amanhã mais do mesmo. Tudo isto porque a frutinha faz muito bem ao menino... Mãe sofre!

Mas ele não perde pela demora... Não dizem que o sabor dos alimentos passa para o leite? Pois vou comer tanta fruta, tanta fruta, que ele vai ver como elas mordem no leitinho do lanche e da ceia! E todos os dias, frutinha da boa, de todas as maneiras e feitios, vai habituar-se, não tem outro remédio.

O paladar educa-se e este menino vai aprender que a fruta é boa, sim senhora! Ou eu não me chame "Mãezinha Querida e Fofinha"!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Conceito Inovador

Desde que o pequeno Pedro passou a comer sopinha como gente grande, há quase um mês, passámos de...
situações de quase flagrante delito, nas quais ouvia um estrondo, sabia que coisa boa não se tinha passado e tratava de tomar conta da ocorrência o mais rápido possível, antes que o crime subisse costas acima (graças aos céus nunca tive cocó a chegar ao pescoço, acho que não sobreviveria para narrar tais factos...)
para...
situações de livepooping (muito mais high tech), em que o cachopo pára tudo, começa a fazer força até ficar a latejar, eu levo-o a correr para o muda fraldas, solto as amarras e ainda vou a tempo de amparar (na minha mão mesmo, literalmente, sim!) com uma toalheta o presentinho a sair, fresquinho fresquinho. Vem a um bom ritmo, nem lento, nem rápido, com boa cor e consistência. Um espectáculo. Depois, é só pegar nele com um pouco de papel higiénico e lá vai ele para a ETAR mais próxima, como se fosse muito crescido. Limpinho.

Pois, se era para escrever coisas destas, mais valia não ter voltado. Eu concordo. Mas são estas as emoções mais fortes do meu dia, fazer o quê?

Há tanto tempo!

Nem acredito que já passou tanto tempo desde a última vez que aqui escrevi... Ainda não tinha postado nada em 2011!

A verdade é que tenho corrido tanto no dia-a-dia e curtido tanto o meu miúdo que fico-me sempre pelo essencial e contar aqui as nossas peripécias ou as minhas teorias, levando mais de dez minutos ao meu tempo, já é uma machadada considerável...

Mas pretendo voltar ao activo, me aguardem!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...