INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

sábado, 30 de junho de 2012

Produtos que usei durante a gravidez

Tenho recebido vários e-mails de leitoras a perguntar quais os produtos de beleza que usei durante a gravidez.
Curiosamente, eu que sou grande aficionada de cremes, bisnagas e tudo quanto cheire bem, fui do mais indisciplinada possível durante a gravidez.
Como o meu cabelo esteve mais brilhante e forte do que nunca, baldei-me em grande a máscaras, cortes e outros cuidados. O melhor foi poder lavá-lo só de três em três dias porque ele simplesmente não ficava sujo.
Como a minha pele ficou maravilhosa com a gravidez (que saudades!!), desapareceram borbulhas, brilhos e outras imperfeições. Eu mais uma vez baldei-me em grande e andei muito relaxada com os cremes e limpeza de pele.
O facto de ter estado grávida durante a Primavera e Verão ajudou muito ao relax, porque esta altura do ano pede muita leveza e descontração com a pele.
Tudo isto calhou muito bem, porque realmente não se deve sobrecarregar o organismo com cremes que, por muito inócuos que sejam, sempre são compostos por químicos ou componentes que são estranhos ao nosso corpo e quanto mais simples mantivermos a coisa, menos nos maçamos e menos agredimos o corpo durante a gravidez.
De facto, durante a gravidez, relativamente a produtos de cosmética, é aconselhável que não se use cremes que contenham retinol, ácido salicílico ou cremes de prescrição anti-acne. Tudo quanto contenha vitamina A é de evitar, por baixa que seja a dose. Também há quem refira dever-se evitar o consumo de produtos com demasiados corantes, derivados petroquímicos, como óleo mineral, vaselina, isoparafinas e outros. Por outro lado, deve dar-se preferência a produtos que tenham pouco ou nenhum perfume e sejam hipoalergénicos.
Em caso de dúvida, o ideal é usar apenas bons cremes hidratantes sem grandes especificidades. Keep it simple, bem basta estar grávida!

Eu usei cremes hidratantes simples e muito protector solar. De vez em quando uma máscara hidratante, mas que já usava antes e continuo a usar porque adoro. No corpo um anti-estrias (com muita batota e esquecimento, valhou-me a genética!) e mais hidratação.
Foram estes:


Eucerin Sun Fluid Mattifying - todos os dias, todos. É muito leve, sem perfume, não deixa a pele brilhante nem branca, como é costume nos protectores solares de elevada proteção. Normalmente não uso um factor de proteção tão alto, mas não quis arriscar com a gravidez. Pano, não!!



Nuxe Crème Fraîche Suractivée - É muito denso e hidratante, mas tem uma aplicação muito leve, é fantástico, tem um cheirinho fantástico, super fresco, é um preferido de sempre a que voltei durante a gravidez, porque é "apenas" hidratante. Usava-o à noite ou quando não usava o protector solar. É tão agradável, que até o meu marido usa!


Nuxe Masque Frais Hydratant - De vez em quando, esta é a máscara que uso e foi a que usei também durante a  gravidez. Aplica-se uma camada fina e deixa-se actuar por 10/15 minutos. Depois, ou se retira com um algodão embebido em tónico, ou espalha-se melhor até a pele absorver, não há problema nenhum em não retirar, ideal para as mais preguiçosas (cof cof)

Lierac Hydrofilia - no corpo, além do leite corpo hidratante que calhasse estar a usar na altura (nisso não sou nada fiel, vario muito), quando a pele estava mais seca ou em zonas habitualmente mais secas, este creme super gordo era implacável. Usava-o com moderação, é mesmo poderoso, nem me podia tocar depois de o aplicar!



 Isdin Velastisa Antiestrias - este foi o antiestrias que eu usei, mesmo indicadinho para grávidas. Para um antiestrias, achei-o muito leve, fresco e agradável de usar. Eu usava-o à noite, tal como é à noite que habitualmente uso cremes hidratantes. Não gosto mesmo nada de me vestir depois de usar hidratante...


Nuxe Huile Prodigieuse - Para um miminho especial, o meu óleo seco preferido é o escolhido. Uso-o no corpo, no cabelo e também pode ser usado no rosto. Love it. O perfume é divinal, o toque sedoso, nada gorduroso. Bem, é tudo de bom!

E pronto, fecho com chave de ouro esta lista, aqui fica o que usei no rosto e corpo durante a gravidez...

quinta-feira, 28 de junho de 2012

A melhor cura para a telha

Passar o cartão!


As sabrinas vieram em nude.
Estou mais contentinha.

Os despojos do dia

Dormimos mal. Um misto de calor, cansaço, mal estar. Não foi por causa da derrota, já não é qualquer coisa tão fora do nosso alcance que nos tira o sono, mas seguramente não nos ajudou a deitarmo-nos leves, alegres e satisfeitos.
Fica sempre uma sensação de abandono, de desalento. A selecção somos todos nós, mas eles são eles e nós somos nós. Portugal se une para uma luta comum, mas não é o nosso dia que está em jogo, a nossa vida que se desenrola em campo, o nosso futuro que se traça naquelas linhas. O dia é deles e os nossos dias continuam. Ficamos entusiasmados, torcemos, vibramos (que diabo, até eu partilhei o melhor sorriso que a selecção me conseguiu tirar!), mas no fim, com o que ficamos? Um grande orgulho, uma vitória estrondosa? Confetis e champagne? Uma amarga derrota, o arrumar das botas? Bares vazios e copos pelo chão? O que resta ao perdedor? Lamber as feridas, chorar, pensar no que podia ter feito, no que os outros fizeram? E o que resta ao vencedor? Festejar muito, erguer uma taça? Desfilar nas avenidas e ser recebido em apoteose? Depois da derrota é o nada. Mas depois da vitória é o nada também.O que se faz com uma taça? O que representa ela verdadeiramente? Que tivemos uma sorte do caraças nos penaltis? Que os outros não conseguiram marcar, ou jogar melhor do que nós? É que um campeonato de futebol resume-se a isso, a ganhar e perder, jogando futebol. Nada mais.

E ontem, no entanto, aficionados e desligados, conhecedores e despistados, todos perderam com a nossa selecção, ninguém ficou contente. Ninguém ficou indiferente. É uma depressão.

Nem o miúdo se safou e nos safou. Delirou com a noitada, lá para o fim da noite gritou golo que se fartou, deitou-se tarde e cansado.
E hoje de manhã acordou tão deprimido como nós. Chorou, nada o consolou, nada queria fazer. Nós não sabíamos o que ele tinha ou queria, porque nem ele o sabia, estava perdido no seu desconsolo.
Puto, como eu te compreendo.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

{Dia 178}

Estivemos com Portugal até o fim!


Só um exemplo

Já tinha falado sobre isto em outro post, há muito tempo, mas, tendo lido este artigo no Crónicas das Horas Perdidas, vale a pena passar a palavra, porque nunca é demais relembrar, porque esta é mesmo uma questão que me tira do sério!

Já agora, algo muito simples que cada mãe e pai podem fazer é questionar a escola sobre a sua política quanto a crianças não vacinadas e assegurar que não admitem crianças cujos pais não as tenham vacinado. Na maior parte das escolas é obrigatória a apresentação do boletim de vacinas actualizado, mas garantam que não seja apenas uma formalidade.


My son has cancer. He can't go into day care because of unvaccinated children.

"Ordinarily I wouldn't question others' parenting choices. But the problem is literally one of live or don't live. While that parent chose not to vaccinate her child for what she likely considers well-founded reasons, she is putting other children at risk. In this instance, the child at risk was my son. He has leukemia. 
What does any of this have to do with vaccinations? While the purpose of chemotherapy is to kill the cancer, it also kills the good cells—most notably the infection-fighting white blood cells. That means my son has limited ability to fight off anything. A single unimmunized child in an ordinary child care setting is the equivalent of a toddler time bomb to him.  

[...]

Those who cannot be vaccinated, including young babies, transplant, and cancer patients, depend on the immunity of the herd to protect them. In recent years, in communities where many parents opt out of vaccinating their children, the herd has diminished. As a result, unvaccinated children have died from totally preventable infectious diseases such as measles, meningitis, and pertussis
In 2008 in San Diego, a 7-year-old boy whose parents refused vaccines contracted measles while on a family trip to Switzerland. Before realizing how sick he was, the boy went to school and infected four other kids at school, after having already infected his two siblings. He then infected four other children who happened to be in the waiting room at his pediatrician's office. Three of those children were too young to have received their MMR vaccines. One of those infants was hospitalized; another traveled on an airplane while infectious. This case is a sobering example of how one family's decision not to vaccinate their children has serious consequences for other children. 

[...]

Because we want him to have as "normal" a life as possible, we'll likely send him off in the bright yellow school bus and cross our fingers that the kid sitting next to him didn't just attend a "chicken pox party" over the weekend. Because what's "just a case of chicken pox" for that kid could be a matter of life or death for mine."

in A pox for you.


Portugal nas meias-finais!

É hoje Portugal! Vamos embora e levemos tudo à nossa frente!

terça-feira, 26 de junho de 2012

As minhas cores

Já tinha lido sobre estes sites e testes aqui, entretanto a Dora fez-me sentir aquele "olha, também vou fazer" final e lá fiz o teste das cores. Basicamente descobrimos on-line quais as cores que nos favorecem, inserindo-nos em um de vários grupos possíveis, distribuídos de acordo com combinações de tom de pele, cabelo e olhos, e nomeados segundo as estações do ano e subgrupos. Tudo para nos ajudar a fazer compras mais racionais e mais indicadas para o nosso tipo.
Tal como temia, o resultado não foi consensual (de mim para mim, que eu sou uma pessoa muito complexa, eu hahaha), não consegui centrar-me numa estação. Ou sou um Inverno profundo, ou sou um Outono profundo.
Ora, eu tenho traços de um e de outro e gosto de me ver e usar cores de um e do outro. Fiquei em cima do muro. Um dia acho que sou deep autumn, no seguinte sou claramente deep winter. Hoje, por exemplo, sinto-me completamente deep autumn! Ao menos, entre um e outro, fico com um leque mais alargado de cores a usar, nada mal!

Para fazerem o vosso próprio diagnóstico e saber quais as cores que vos ficam a matar e quais são mesmo a evitar, leiam estes posts:

http://busywomanstripycat.blogspot.pt/2011/08/season-colour-analysis.html
http://busywomanstripycat.blogspot.pt/2012/05/roupa-simplificada.html

http://www.thechicfashionista.com/seasonal-color-analysis-2.html

AS MARAVILHAS DA MATERNIDADE

{Dia 177}



desarruma arruma desarruma arruma desarruma arruma desarruma arruma

Os dilemas de vestir meninos e meninas



A diferença entre escolher e comprar roupa para menina e roupa para menino é abismal, diria que são desafios diametralmente opostos.
Para um menino, o desafio está em escolher o melhor possível perante a pouca escolha que temos.
Para uma menina, o desafio está em escolher o melhor possível perante a imensa escolha que temos.

Para mim, nesse aspecto, ter um menino é muito libertador. É apaziguador saber que encontramos e trazemos sem dificuldade tudo quanto realmente gostamos porque o sortido é escasso e as peças que realmente gostamos são ainda menos. Nunca fico com pena de deixar aquela t-shirt tão gira para trás porque eu trouxe-as todas e eram duas. O miúdo podia ter uma peça do que gosto em cada cor do arco-íris e ainda assim sobrava espaço na sua cómoda.
Se fosse assim com a minha roupa eu seria uma mulher ZEN. Mas não, porque eu sou uma menina e o centro comercial foi feito a pensar em mim.
Por isso mesmo, ter uma menina deve ser uma delícia de possibilidades mas também uma frustração, porque devemos ser inundadas por milhares de peças lindas, tornando a escolha diabólica e a tentação constante. A qualquer momento podemos ser assaltadas pela próximo vestido que temos de comprar e temos de estar constantemente a refrear-nos para não cairmos no ridículo de termos o armário da bebé em imparável crescimento mais recheado do que o nosso próprio armário.

Pela boa saúde e paz do meu espírito inconstante (e da minha carteira, já agora), espero que o jogo da agulha feito há milhares de anos não me falhe e eu sempre venha a ter o tal segundo menino tão cientificamente vaticinado!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

{Dia 176}


O que faço eu com isto?

Alguém aqui está a falhar. O mais certo é ser eu, mas se for o IKEA, estamos mal, it's a first.

Então eu trago para casa um kit de iniciação às ervas aromáticas, tão jeitoso, tão IKEA e saem-me de lá uns discos de terra compactada? Não traz instruções, a caixa nada diz, no site nada encontro, como é que me desenrolo disto? Junto água? Desfaço com uma faca? O que faço?

Estou tramada.

Beautiful


 
Beautiful


Beautiful


Beautiful boy...


imagens via Pinterest

domingo, 24 de junho de 2012

Inconfessáveis



E quando vamos dar o jantar ao miúdo e ele começa a chorar, aparentemente sem motivo? (cansaço? fome? estupidez natural?) Vemos logo que está tudo estragado.
Larga num pranto inconsolável e não quer pegar na colher. Sacode, dobra-se, vira a cabeça, espalha o ranho. De repente pára, olha para nós impávidas e serenas (a bufar por dentro) e quando lançamos um "Vamos voltar a papar?", acena com a cabeça mas volta a chorar.
Oh, pá...
Volta ao pranto inconsolável e não quer que lhe demos a comida nós próprias. Esconde-se, vira-se, espalha o ranho e chora. E pára e vai olhando, a ver o efeito, nós impávidas e serenas "Assim a mãe não dá o peixinho, pára de chorar." (a espumar por dentro).
E de vez em quando lembra-se de dar tréguas e ir comendo o jantar, entre prantos e ranho, meio sozinho, meio pela nossa mão, conforme onde a onda de choro o leve. E por fim pára tudo e é como se nada tivesse acontecido.

Maravilhas da Maternidade.

Nem me apetece lembrar isto quanto mais escrever sobre isto. Cansa-me, é mesmo isso, é cansativo, é um aborrecimento vivê-lo, quanto mais passá-lo ao teclado.
Depois ainda há quem lamente que não se fale da "realidade" da maternidade, quem se insurja contra as cores pastel de alguns baby blogs, e quem acuse a hipocrisia, falsidade e branqueamento destas cenas da vida privada.
Poupem-me. Se não me poupa o puto, poupem-me as polícias da maternidade real. Como em tudo na vida, a maternidade tem episódios infelizes e episódios felizes e há quem seja masoquista e há quem prefira desopilar dali para fora e fazer por pensar em cenas e nas cenas mais agradáveis. De vez em quando sabe bem pôr cá para fora estes dramas quotidianos e voltar a vivê-los, botar faladura nestas misérias, registar a indignidade, encarar o tédio, mas no mais, não tenho vocação para ruminante.

{Dia 175}


Promessa


sábado, 23 de junho de 2012

Contra ventos e marés

Contra marés até não, porque a maré estava bastante baixa e não havia ondas...
Mas contra ventos, sim! Nem quero imaginar como estará esta tarde.
Amanhã quero menos vento, s'il vous plait.

Ainda assim, consegui uns momentos preciosos de dolce fare niente...


sexta-feira, 22 de junho de 2012

O Samurai dos descascadores

Eu tinha perdido o meu descascador preferido, aquele que me ajudava a descascar at]e 86 batatas por minuto.
At]e que ele se perdeu e eu fiquei perdidinha de todo.
Not anymore!
Comprei a vers\ao kitada do descascador do IKEA e aquilo ]e uma cena super s]onica! ]E o ninja dos descascadores, at]e as paredes eu vou conseguir descascar, loucura!

IKEA 365+ VÄRDEFULL Descascador de batatas - IKEA

Topem/me este menino... Zing!

Nota> o meu puto andou }a solta pelo meu computador e virou/me o teclado do avesso, nem uma tecla de acentos e s]imbolos est]a correcta!! Ah, o ponto de exclama;\ao est]a correcto, boa. O que fa:o_  Ser]a que se eu reiniciar o computador isto volta ao s]itio_ Bom, para j]a estou com pregui;a, amanh\a enlouque;o com o teclado...

{Dia 173}


A M E I


Eu quero um liso espelho

And I want it now!
Adoro o meu cabelo comprido, beeeem comprido, ADORO
Mas adoro mais que esteja sempre bem liso e brilhante, apesar de ser muito preguiçosa e sempre cheia de pressas para perder tempo com um bom brushing.
Assim sendo, para me ajudar nesta tarefa árdua de conseguir um liso e brilho espelho com o mínimo esforço, estes são os meus últimos aliados:




Cada vez gosto mais da marca Phyto, os produtos têm ingredientes naturais, são eficazes, são de tratamento ao mesmo tempo que cumprem funções de finalização ou alisamento (no caso destes produtos) e o preço não é exagerado.

O Phytodéfrisant é um produto do qual já tenho falado aqui no blogue e na página do Facebook das Maravilhas. Estou mesmo muito satisfeita com ele. Aplica-se muito bem (talvez seja um pouco líquido demais para vir numa bisnaga de metal, mas deve ser por não conter espessantes, o que acaba por ser uma nota positiva), é muito leve na aplicação e no resultado final. Posso secar o cabelo após a aplicação ou deixar secar ao ar livre (óptimo no Verão). Secando o resultado é impecável, não secando, ainda assim noto imenso a diferença, o cabelo fica domado e sem volume excessivo.
Atenção que o meu cabelo é um liso fanhoso, ou seja, é quase liso, mas tem electricidade estática e uns jeitos esquisitos, mas consigo facilmente alisá-lo e se quiser, também aguenta caracóis. Mas o que eu quero é basicamente um milagre, um produto que aplique e já está. Impossível, eu sei, mas há alguns produtos que ajudam, e este é um deles.

O Phytolisse não cumpre tanto uma função de alisamento, mas sobretudo de brilho. Pode ser usado como finalizador do penteado, para dar aquele brilho espelho, ou pode ser usado como produto de styling, só.
Também pode ser usado entre lavagens, para domar o cabelo de manhã e chamá-lo à razão...
Tal como o Phytodefrisant, é muito leve e eficaz, gosto muito de usá-lo, é mais leve do que um óleo (que agora estão totalmente na berra, qualquer dia tenho de falar sobre eles, temos os gerais - corpo, rosto, cabelo - e agora também todas as marcas específicas para cabelos têm o seu, é uma alegria), por isso não corremos o risco de o deixar oleoso ou pesado.

Também já tenho experimentado outros produtos, mas para alisamento, estes são os meus preferidos do momento. Kerastase, põe-te em sentido, que tens concorrência à altura!

P.S. - Estes posts são super longos, qualquer dia começo a debitar matéria sobre o que eu acho dos produtos que experimento para vídeos, a ver se lhe tomo o gosto!

quinta-feira, 21 de junho de 2012

{Dia 172}

Hoje não há foto do dia. Não há qualquer registo do dia.
Porquê?
Porque eu fui à capital do império e deixei o telemóvel e o Podi para trás, esquecidos no escritório. O dia todo! Nem quero imaginar em que estado vou encontrar amanhã o registo de chamadas, porque vão lá passar a noite, temos pena.
É que nem relógio tinha, deixei tudo para trás... Não fosse o facto de precisar urgentemente de avisar o meu maridinho que chegaria atrasada para o jantar (E PARA O JOGO!! PORTUGAL!!) e teria sido libertador. No strings attached.
Quando cheguei a casa, tinha a sala cheia de malta a vibrar com o jogo e com o golo mais que merecido que nunca mais havia maneira de sair e um Pedro LOUCO, sem banho tomado, sem fralda trocada, a chutar a bola sem parar e a fazer as delícias de todos. Foi a estrela da noite, quem tem um Ronaldinho de fraldas, só precisa do outro Ronaldo para marcar os golos - mas continua Cristiano, estamos a gostar e tu mais que todos!
Agora, é o descanso dos guerreiros... Eu também quero um dos massagistas da seleção de todos nós...

Encontrei!


As sandálias que tanto queria e precisava encontrar para o Pedro.
Tinham de ser em pele, com tiras, uma tira vertical a tapar os dedos, muita ventilação, sola flexível e giras.
Falhava sempre alguma coisa, sobretudo a parte do giras... Não gosto nada de bonecadas!
[Neste momento o Pedro basicamente veste aquilo que o pai poderia usar sem problemas, sem contar com algumas golas, as jardineiras, calções com peitilho ou à espanhola.]
E finalmente encontrei-as, na boa e amiga Zara.


São tal e qual como eu queria.

 

São tal e qual como eu já tinha escolhido antes! Pronto, em equipa que ganha não se mexe, estas sandálias são a versão toddler das sandalinhas que o Pedro usou no Verão passado, em versão mini baby super fofas. 
Ao encontrar estas sandálias e trazer o nº 23 para o Pedro (um sapatão enorme,comparado com a sandalinha do ano passado), realizei uma coisa dramatica: o meu baby tem os dias contados nas secções de bebés das marcas em geral, que se esticam aos dois anos e vão no máximo dos máximos aos três, mas com pouca escolha.
O meu gigantone vai ter de passar para a roupa dos crescidos...

quarta-feira, 20 de junho de 2012

{Dia 171}

Tribalmint.

Tutorial: Manicure para mães despachadas

Não se riam, pelo amor de deus!
Resolvi fazer um tutorial, meio a brincar, meio para experimentar, sobre como eu faço a minha manicure expresso de mãe despachada.

A qualidade do filme é má e a locução está carregadinha de falhas e gralhas, mas vai mesmo assim, primeiro take, mãe despachada é sempre a andar! Tenho vergonha de ouvir a minha voz a ensinar a fazer a manicure, mas foi muito divertido fazer este vídeo e tem de fazer jus ao mote aqui do sítio: antes muerta que sencilla!
Engano-me imensas vezes no que digo e troco muito a base Bonde da Orly e o finalizador Séche Vite, não liguem.
Eu diverti-me imenso, espero que gostem!!!





Os produtos usados foram os referidos neste post, estou muito satisfeita. http://maravilhasmaternidade.blogspot.pt/2011/12/manicure-perfeita.html

Atenção! Quando ao minuto 5:00 eu digo "Bonde", queria dizer Séche Vite e ao minuto 5:20 eu digo "ponho Bonde no final", eu queria dizer "ponho Séche Vite até o final da unha", porque eu ponho o Seche Vite a cobrir muito bem a unha toda, de uma ponta à outra e até com uma pontinha a mais na ponta dos dedos, para ter a certeza que está tudo bem coberto!

Sopa nossa de cada dia

Este post também pode ser lido em consultaclick.pt



As batatas vieram da horta da empregada, as cenoras e as cebolas da prateleira de bios do super, os espinafres da eira da bisavó, o feijão verde da praça.
Tudo é bem descascado com um descascador que já não é o meu – nunca pensei que me causasse um desgosto tão grande perder um descascador, mas também nunca pensei que todos os outros descascadores da casa fossem tão piores do que “o meu”- e vai parar à Bimby.
100 graus, 30 minutos, velocidade 1. Água, umas quantas batatas, duas cenouras, uma cebola, um dente de alho e um pouco das verduras que andam pelo frigorífico a pedirem para ir parar à panela – pick me, pick me! É a receita da minha sopa. Meia hora a rodar, a cozer, a amolecer, a apurar, a crescer. Ao fim do tempo, acorro prontamente ao apito, não há nada mais perfurante que o apito irritantezinho da maquineta. Um fio longo e pesado de azeite, vinte segundos de trituração e tenho sopa para cinco ou seis porções.
É a sopa do meu filho. Da qual também comemos. Inverteu-se a lógica, mas faz mais sentido. A dele é mais básica, mais variada, sem sal mas muito sabor. Habituamo-nos muito rapidamente ao palato insosso, pelo contrário, tudo o mais nos parece de repente muito mais salgado a saber ao mesmo sal!
Não há nada mais rotineiro do que a sopa antes da refeição. Não há nada que faça tão bem, que sacie tão prontamente, que forre tão bem o estômago para o prato que segue.
Maravilhosa dieta mediterrânica esta nossa que nos deixou um caldinho à beira da refeição plantado.

terça-feira, 19 de junho de 2012

{Dia 169}

O correio trouxe-me hoje uma coisinha muito boa!
Ganhei, num concurso flash do Blog da Carlota (adorável blog, a Carlota é um amorzinho lindo e a Fe super elegante, quem não conhece? http://babycarlota.blogspot.pt/), um molde divertido para ovos cozidos da eatsreal.com.
Para quem ainda não conhece, a eats real é um projecto conjunto de várias áreas com um objectivo único: aplicar a brincadeira e o estatuto fun à hora da refeição e à comida verdadeira, através de ideias diferentes e práticas. Moldes para comida, talheres e loiças divertidos, lancheiras, oferecem todo um mundo de ideias que tornam a refeição mais prazeirosa e menos penosa.
Então, dentro do envelope vinha este pacotinho que eu abri como se fosse o Pedro, cheia de entusiasmo e expectativa.
E qual era o molde que me tinha calhado?


Um coelhinho!!


Só podia! Um coelhinho para o meu Pedrito coelho, nem de propósito. Claro que adorei e não vejo a hora de comermos um ovito cozido para brincarmos um pouco com o molde.
Literalmente vamos brincar à mesa, ups.

Pazadas

de areia saem dos sapatos, dos bolsos, dos ouvidos, das meias, da cabeça do meu filho! Eles devem mergulhar na caixa de areia do colégio, meus senhores!

Logo a seguir ao lanche, vai a miudagem toda para o pátio e jardim e solta-se a maluqueira!
Ele é carrinhos, ele é sobe-e-desce, ele é caixa de areia, ele é a sua amada bola bola bola.
Sempre que o vou buscar está encardido, suado, cheio de areia, sujo e estoirado.
Mas muito feliz, dá-me um gozo tremendo encontrá-lo assim!


Picture perfect para a eternidade

Depois das fotos de Verão tiradas, das conchas recolhidas, das lembranças trazidas, o que havemos de fazer para não deixar essas recordações a um canto esquecidas? Aqui ficam algumas sugestões muito engraçadas!

Message in a bottle. Cápsulas do tempo com o melhor do Verão, com um efeito 3D.


Montagem de quadros temáticos, especial férias.


O que fazer às muitas conchas que nunca resistimos a apanhar? Scrapbox them!



Ideal para a decoração de uma casa de praia ou na praia. A montagem da cerca está DEMAIS!

segunda-feira, 18 de junho de 2012

{Dia 168}

Os primeiros três de uma futura parede em constante expansão.


Paizinhos fofos

Também, só os queria por parecerem ser bons pais, porque de resto, assim à primeira vista, nem lhes vejo outras qualidades...





Mamããããããã

Agora sim, eu posso dizer que o Pedro já fala.
Antes dizia umas palavras, Alfa, olá, ãoão, gacum (gato), mamã, papá, coisinhas assim.
Mas agora já começa a aumentar o repertório e a falar com muita intencionalidade! Por falar em futebol (esta da intencionalidade é um ex libris do futebol), se o Euro não servir para nos dar alegrias (e hoje, se deu, parabéns rapaziada!), terá servido para ensinar umas palavras ao Cristianinho cá de casa: bola, golo no outro dia, Tutugal hoje, o meu rapaz daqui a nada está a entoar cânticos de claques! A verdade é que nisso não haveria grande mérito, os cânticos das claques são de uma boçalidade constrangedora... adiante!
Além de novas palavras todos os dias, há a tal da intencionalidade. Pois que o meu petiz agora, quando nos chama, não vai lá com um simples "mamã" , "papá" ou mesmo "vovó" queridos e fofinhos, não, o meu filho não vai com os putos à missa, vai mesmo com vários MAMAÃÃÃÃà MAMÃÃÃÃÃà muito altos, muito aflitos, muito estridentes, e vai pela casa fora, de braços no ar, até chegar a dez centímetros do meu ouvido. MAMÃÃÃÃÃÃ.

Eu acho o máximo.
Ainda que gritar seja uma grande "não não"...
Ele chama e eu logo "Sou eeeeeeeeuuuuuu" ou "Sim, fiiiiiiiilho". E ele ri-se, todo contente, e responde MAMÃÃÃÃÃ!!
Ai rico filho que já falas, pode chegar o dia em que mais quero que te cales nem que seja por um minuto, mas para já, estou a adorar, fala muito!

Eu acho o máximo.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...