INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Salva vidas



Santa Tracy, valhei-me em momentos de aflição!

A minha cartilha de puericultura é 100% Tracy Hogg, cá em casa estamos rendidos aos seus ensinamentos, dicas e compilações de bom senso e sensibilidade. Claro que não concordamos com tudo e claro que as dicas da família e dos pais de bebés que conhecemos e sabemos serem exemplos a seguir são inestimáveis e sempre incorporados, mas em termos de teoria base, de método estruturante, Tracy Hogg a presidente!

Infelizmente a minha guru espiritual nestas coisas da puericultura já não pode ser presidente, porque morreu em 2004. É uma pena que ela tenha morrido tão cedo, pois ainda tínhamos muito para aprender com ela, de certeza. No entanto, ela vive ainda entre nós através da obra que nos deixou, e da qual temos aproveitado muito.
Temos o primeiro livro já bem lido, já temos o upgrade a caminho e, não tarda nada, começa a ser hora de ler o que ela teve a dizer sobre meninos entre 1 e 3 anos. Nunca é cedo para ir tendo umas luzes!

Além dos livros, Tracy Hogg vive ainda entre nós de outro modo, um que apenas estes maravilhosos tempos de tecnologias de ponta permitem, praise the lord!


Um fórum inteirinho, cheio de dúvidas tiradas por mães que também aplicam o método E.A.S.Y. e se entreajudam, partilhando dicas, experiências, sucessos e dificuldades, sempre dentro da mesma filosofia. É mesmo o que eu preciso para tirar aquela dúvida que o livro não prevê. YAY

Ah! É ainda ótimo para quem não conhece o método e pretende saber um pouco mais sobre ele ou tem dúvidas quanto à sua bondade. Nada como partilhar!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O que é nacional é bom

São fofos demais, estes fofos... Uma perdição!






Todos DOT

Made in Portugal, com qualidade superior, tanto nos materiais, como nos acabamentos, como ainda no atendimento ao cliente. Estou fã!

Hmmmmm

Ontem tivemos a primeira experiência com o marsúpio...
Digamos que não correu muito bem. Ainda tenho os ouvidos a zumbir...

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Todos os meninos são homens pequeninos


Olho para a pequena mão do meu pequeno Pedro, tão sossegada e perfeitinha, com dedos longos e cada vez mais papuda. Olho mais perto e vejo milhões de pequenos buraquinhos, nas costas da mão e na base dos dedos, só à espera da puberdade para se encherem de pêlos.
As suas mãozinhas bem podiam ficar assim, tal como estão, para sempre. Não quero saber de pêlos púberes e afins no meu rico filhinho.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Chupeta, a malvada

Se Marx viesse cá a casa, diria que a chupeta é o ópio do Pedro.



Quando está acordado o Pedro nem se lembra que tem chupeta e ainda bem, deixá-lo assim. Mas de cada vez que ele está para adormecer e fica agitado, assim que a chupeta entra na boca, é ver os olhos a revirar, o corpo a amolecer e a boca a dar a dar. Todo ele se resume a uma boca a chuchar furiosamente como se precisasse disso para viver. Parece mesmo uma dose de droga, directamente na veia tumba, efeito imediato.

Detesto vê-lo tão dependente de algo para se acalmar, para adormecer. Eu bem sei que os bebés da idade dele têm uma necessidade constante de chuchar e enquanto não controlam as mãos e dedos, só lhes vale mesmo a chupeta, mas mesmo assim... É que a fronteira entre o chuchar para acalmar e o não conseguir dormir sem a malvada é muito ténue e ter de depender disso para dormir é desgastante para ele, que acorda a cada cinco minutos porque a chupeta cai durante o sono e desgastante para mim, que tenho de ir pôr a chupeta a cada cinco minutos. Não dorme ele e fica cansadíssimo e não descanso ou trato de outras coisas eu e fico frustrada. A minha irmã recomedou encontrar uma chupeta que não caia, mas a solução para este problema não pode passar pela rolha que não saia, mas pelo controle da rolha.

De maneira que andamos numa luta contra a chupeta, abrindo barricadas para que ela não se entranhe na vida do nosso menino. Já experimentámos não a dar de todo para adormecer e após uns vinte minutos bem medidos de choro non-stop (pareceram horas, os meus ouvidos até zumbiam, amparar um bebé a gritar no nosso ouvido não é pêra doce), o Pedro dormiu cinco horas seguidinhas e na manhã seguinte não precisou da chupeta para adormecer. Portanto, it's doable, o caso ainda não é desesperante.

Entretanto voltámos a introduzir a chupeta, porque ele ainda precisa dela, mas na hora de dormir começa a dança da chupeta: um pouco de colo, uma musiquinha e enquanto está a chuchar furiosamente deixamo-la posta, se ele a cospe mas ainda está alerta e a procura, voltamos a dar-lha; quando já está calmo mas ainda acordado, caminha, se possível já sem chupeta, o que é raro. À medida que vai adormecendo cada vez chucha menos e vai soltando a chupeta e se a deixa cair demora mais tempo a pedi-la. O segredo é estarmos lá até que ele deixe cair a chupeta e não a volte a pedir, deixando-se estar assim mesmo. Se ele adormecer sem que a peça, temos uma sesta de pelo menos 45 minutos ou um início de noite sereno e rápido. Se ele não conseguir adormecer sem a chupeta, não temos sesta de jeito ou temos uma noite que começa mais tarde. Leva o seu tempo e paciência, que leva. Às vezes corre bem, outras mal. Mas cada vez corre melhor e cada vez é mais rápido, o que nos dá alento.

A nossa esperança é ter um Pedro que saiba adormecer sozinho e que só precise da chupeta para um consolo extra, para libertar o stress, para aquele momento mais difícil, em que ele precisa de uma ajudinha, mais nada.

Fingers crossed!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Dois Meses


O meu pequeno Pedro já tem uns crescidos dois meses de idade. Está um homenzinho!
Para meu consolo ainda tem muito para crescer, mas já consigo vislumbrar o menino que nos saiu na rifa e estamos a criar:
Adora tomar banho. Dado sempre pelo pai, com direito a um pouco de natação sincronizada e brincadeira relaxante.
Ama a massagem. Fica sossegado e atento enquanto o pai espalha o creme, massaja tudo como se estivesse numa sessão de spa e lhe fala de coisas muito importantes, como por exemplo a importância de não fazer xixi sem ter a fralda posta. Ninguém gosta de surpresas líquidas.
Adora trocar a fralda. Ri-se sempre muito e palra bem disposto, sobretudo depois de ter a fralda nova posta.
Não adora passear de carrinho. Não se lhe pode censurar tal desgosto, porque está frio, as vistas ainda não o maravilham, o passeio português é um inferno na terra para carrinhos de bebés e ele vai todo encasacado e preso aos cintos. Prefere sempre o quentinho do lar. Não é parvo, o meu filho.
Detesta encasacar-se. Ficar ensacado como um boneco de peluche realmente não deve ser muito digno... Pior ainda se depois do "encasacamento" se segue o carrinho e seus cintos, ou pior ainda, a coque. A coque é a coisa que o puto mais detesta à face da terra. Mais uma vez, não o posso censurar, eu também detestaria se estivesse no lugar dele. É mesmo um mal necessário.
Tolera andar de carro. Até ele se pôr em movimento, temos um Pedro chateado. Depois, um Pedro conformado. O que vale é que meio minuto depois, temos um Pedro adormecido. Menos mal.
Adora que falemos com ele, principalmente se também lhe picarmos o nariz "tip-tip-tip" ou soprarmos na barriga. Ri-se todo contente e palra bem disposto.
Adora estar no colinho, claro! Mas não é o maior fã de adormecer, claro... Ainda assim, supera bem a falta de um e consegue fazer o outro sozinho, o que nos deixa muito contentes.
Mil coisas ficam por registar, tantas, mas assim anda o meu pequeno Pedro aos dois meses de idade...

sábado, 4 de dezembro de 2010

Todos os meninos são homens pequeninos


Eu canto "Você não vale nada mas eu gosto de você!" e ele ri-se todo contente.

ADORA

Homens. Adoram ser mal tratados...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Quem diria?!


Realmente a necessidade aguça o engenho!

Contra as minhas previsões mais pessimistas, apesar do frio na rua e do Pedro em casa, consegui não só fazer uma primeira incursão às compras de Natal logo no primeiro dia de Dezembro, como encontrei presentinhos ideais para boa parte da malta que consta da minha listinha! Algo nunca antes visto...

Agora só espero que a segunda incursão não seja feita na véspera de Natal...

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Inconfessáveis


À clássica desculpa esfarrapada "É só uma criança...", eu respondo cá aos meus botões "Por isso mesmo, está na altura ideal para aprender boas maneiras e a respeitar os outros."

Também adoro pérolas como "Tem muita personalidade, é muito teimoso, não se lhe pode dizer nada, que este só faz o que quer...", enquanto o puto só falta pontapear-nos as canelas. Nessas alturas eu imagino-me, tipo Ally MacBeal, a pontapear os paizinhos e a pôr fita adesiva na boca do puto.

Eu cheguei a imaginar que o leque alargasse com o nascimento do Pedro, mas não. Eu amo o meu filho, adoro os filhos da família e dos amigos, gosto das criancinhas que vejo na televisão, mas infelizmente muitos dos filhos dos outros, dos que passam por mim na rua, dos que vejo uma vez na vida, em geral e por defeito tolero-os, porque são muitas vezes intoleráveis...

Pagam os filhos pelos pais, e tenho sincera pena, porque salvo raras excepções, crianças directamente saídas d' O Livro da Selva são fruto de paizinhos ralinhos, ralinhos. E curiosamente, mal se dá conta dos meninos que aprenderam a comportar-se, quando vais a ver ele está mesmo ao teu lado e nem reparaste e que boa é a surpresa. Cada vez mais rara.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Um Ano!!


E não é que este meu blog fofo fez um ano inteirinho no dia 24 e eu me tinha esquecido completamente de assinalar data tão importante?! Ai que desnaturada.

Blog fofo, parabéns, és muito fofinho e estás para durar, gosto muito de ti.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Lullabye

Para o Pedro as horas da caminha começam sempre assim:

Quando a lua acordar
Coisas que a vida tem
Vai-se o mundo deitar
E tu também
Ai quem me dera ir
Dentro do sol morar
Nunca ter de ir dormir
E só brincar
E milhões de aventuras viver
Com as estrelas no céu a correr
E à terra apenas voltar se eu quiser
Quando a lua acordar
Tu vais adormecer...

É a única canção de embalar que eu conheço de cor, do princípio ao fim e em português. Além de que adoro o Vitinho, claro!

E passados tantos anos, esta música agora toca mais fundo do que quando passava todos os dias na TV. Não só pela nostalgia do antigamente, mas sobretudo porque diz tudo o que às vezes sinto, tudo o que me apetecia fazer, lá bem no fundo e se fosse possível. Só às vezes... Juro que até já chorei a cantá-la ao Pedro, num misto de delírio de cansaço e autocomiseração. Eu sou óptima a sentir peninha de mim! Uma verdadeira pro.

Enfim. Aqui fica a versão patrocinada pelo tio Belmiro e a perturbadora Leopoldina, trazida pela mão do GENIAL David Fonseca. O disco da Leopoldina deste Natal vale mesmo a pena comprar, está cheia de versões super style de canções infantis, com o bónus de angariar fundos para a Missão Sorriso, só coisas boas!


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Também adoro

Macacões e jardineiras. Não sou muito esquisita, portanto... Um bebé da idade do Pedro é mesmo pequenino, deve vestir-se como um bebé. Há tempo para as gangas, as calças com breguilhas e as camisas, por enquanto o meu bebé vestir-se-á como um baby, daqueles de brincar... E sem bonecada, pelo amor da santa!

Zara




Jacadi

Os meus preferidos são os acolchoados da Jacadi, são super quentinhos e confortáveis, a qualidade é imbatível, mas também os há giríssimos em tooodas as marcas que se possam imaginar, basta passar as mãos pelos cabides.
Eu adorava postar algumas imagens de roupinhas de marcas portuguesas maravilhosas como a Knot, Ovo Estrelado, Laranjinha, Gama Rústica, ou a já referida DOT, mas ou simplesmente não têm site, ou não têm fotos, ou não há fotos de jeito, ou não há fotos sacáveis. É uma pena, assim não há publicidade gratuita que aguente, nada a fazer!! Senhores das marcas portuguesas, atentem nas Zaras, Lanidores e Jacadis desta vida, modernizem os vossos sites, melhorem a qualidade da vossa imagem on-line e toda a gente vai ganhar com isso...

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tão fofos, os fofos!

Adoro. São as peças de roupinha de bebé por excelência, as minhas preferidas para todo o ano, para além de práticos e confortáveis, os fofos são tão fofos!

Lanidor


Zara


Os melhores, mais giros (e mais baratos) são os da D.O.T., uma marca portuguesa maravilhosa de venda exclusiva on-line, mas os da Lanidor e da Zara também são adoráveis. O bebé Pedro parece um anjinho dentro de um, nem nos lembramos que os seus pulmões são demoníacos!

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Do verbo sorrir


Já não é um esgar, já não é um reflexo. Já não lhe surge nos lábios involuntariamente, quando está em delírio degustativo ou em pleno sonho.

Já é uma resposta, uma reação. O meu filho olha para mim e ao meu sorriso responde. Com um sorriso.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Quem não chora, não mama

Antes que ele volte a chorar, vamos à crónica da alimentação do puto. É agora, tudo ou nada!
Amamentação, na maior. Desde a primeira meia hora de vida que o Pedro tem feito mesmo pela vida e nunca me deu chatices. Pegas, subidas de leite, gretas, suplementos, nunca tive nem tenho de pensar nessas coisas, tive MUITA sorte. Quando parecia que a coisa estava a começar a descambar porque o Pedro começou a fazer intervalos mais irregulares (primeiro passo para mamas a fazer de chupetas, pais reféns dos não-horários dos bebés, sonos irregulares e todos esses dramas de faca e alguidar), pusemos o E.A.S.Y. em ação e num instante o miúdo entrou nos eixos e a família ficou feliz. O Pedro acorda como um reloginho de três em três horas, quando não acorda tem apenas tolerância de meia hora e acordamo-lo nós e só à noite agradecemos mais umas horas seguidas de sono, que às vezes nos são presenteadas, outras não.
Para além disso, ainda não passámos pela provação das cólicas a sério, ele já deu uns coices, já puxou pelas goelas, já andou chateado com a vida ou com o estômago, mas nada que durasse muito tempo ou fosse regular. Talvez fosse um pico de crescimento, talvez fosse pelo facto de ter andado um pouco ranhoso, graças à constipação que o pai lhe orientou, o facto é que ele kickava, nós consolávamos, ele calava-se. E pouco depois voltava à carga ou adormecia. É a vida.
Começando pela boca, passando pelo estômago, acabando nas fraldas, que a parte mais emocionante da vida de um recém-nascido resume-se a isto, as dele têm SEMPRE brinde. Muito, MUITÍSSIMO ou pouco, conto pelos dedos de uma mão as fraldas do puto que não têm cocó, às vezes verde, outras acastanhado, outras cor de mostarda, às vezes resolve mostrar em plena muda como faz bem o serviço... Socorro! É bom sinal, mas podia ser um pouco mais poupadinho. Ou vá, pelo menos mais concentrado, se é para fazer, faça tudo de uma só vez! Num só banho conseguimos usar três toalhas, porque o senhor sujou uma antes de entrar no banho e outra assim que saiu, fantástico...
Em resumo, estamos muito aliviados que 90% do que faz a rotina do nosso baby esteja em tão bom estado, isso faz de nós uma família muito mais descansadinha e contentinha. Esperemos que assim continue!


AS MARAVILHAS DA MATERNIDADE

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Estava eu a escrever um post descrevendo o quão querido o nosso bebé é, o relóginho para mamar, a ausência de cólicas, o fair-play entre mimos e auto-consolo, a previsbilidade nos choros, quando ele desata a chorar inconsolavelmente e cai tudo por terra.
Depois admiram-se de não haver novidades e relatos da vida do Pedro.
É para não agoirar, minha gente!!

sábado, 6 de novembro de 2010

Só para dizer que o sabão azul e branco é o melhor amigo de uma mãe que quer uma pré-lavagem super sónica e super eficaz. Imbatível. Pena que o sabão azul e branco não seja o melhor amigo de mãos sedosas e olfatos sensíveis. Too bad.

É para verem como as coisas andam...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

O dia em que o meu mundo mudou

Há uma semana atrás, mais precisamente às 9:20 horas do dia 7 de Outubro, nasceu o meu filho Pedro.
Nasceu com a ajuda da Senhora ventosa Kiwi, em três rápidos minutos, após 9 horas de dilatação com o alto patrocínio da epidural maravilha e uma semana horribilis de dores de costas.
Quando, às 22:30 horas de ainda 6 de Outubro, estava deitadinha quietinha de lado no sofá da sala, a tentar enganar as dores e sinto um "pop" quase imperceptível, pensei "Ai, ou rebentou um músculo ou romperam as membranas!" Fui ver, eram as membranas. Felizmente com as águas se foram igualmente as dores, senti uma enorme pressão sair-me do corpo à medida que recuperava centímetros cúbicos de espaço interior. Até dei pulinhos de alegria. Não só tinha deixado de sentir dores, como tinha a certeza de que, por muitas horas que ainda levasse, por muito que eu sofresse (que não sofri, muito pelo contrário), no dia seguinte estaria tudo terminado e o Pedro cá fora, não haveria mais dias de incertezas. E assim foi, o meu menino veio com a manhã, com o horário de expediente, com a abertura do mundo ao público. E o meu mundo nunca mais será o mesmo.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Ponto da Situação


E ao bater das 38 semanas passei uns dias menos bons... Escrevo "passei" porque hoje já passa do meio-dia e tendo acordado no sofá da sala, onde fui dormitando sentada e rodeada de almofadas por causa de dores agudas nas costas, ainda não tive nenhuma contracção mais dolorosa, consegui levantar-me e circular pela casa, comi sem agonias um bom prato cheio de cereais, já estou outra vez com fome e estou sentada frente ao computador a escrever e tudo. Estou óptima.
Desde Terça à tarde até esta madrugada tive contracções fortes e dolorosas (pelo menos eu já as achei assim), isoladas ou por sessões de algumas horas seguidas, dores de costas, ou ambas, não mantive nada de jeito no estômago, não comi nada de jeito, andei mesmo aflita.
Depois de duas idas à urgência da maternidade, sempre a mesma conversa: 38 semanas, primeira gravidez, contracções de parto iniciais, não rítmicas, dilatação que ainda não justifica o internamento. Eu fico um pouco frustrada com essas respostas, porque têm sido dias difíceis mas parece que ainda não é nada. Com notícias destas prefiro ir para casa, esperar em casa, mas o pior é esperar e apesar de tudo o que me acontece, em pouco resultar. Enfim, ainda pensei que o Pedro nascesse em Setembro, mas afinal já não. Ainda está cá dentro, só espero que não tenha sentido nem um décimo do que eu senti... Pelo menos agora estou bastante melhor, espero que a próxima sessão de contracções, quer seja hoje à tarde, daqui a uma semana ou mesmo duas, seja a última, saravá!

sábado, 25 de setembro de 2010

Não percebo...

À medida que a minha gravidez se aproxima do fim com rapidez directamente proporcional ao desconforto que a envergadura da minha barriga me causa, fico perplexa com as amigas e conhecidas que comentam as saudades que têm das suas próprias barrigas de grávida...

É que saudades de uma barriga assim, até compreendo...
27 semanas

Mas assim...
36 semanas

É demais!
Eu acho que não vou sentir grandes saudades da minha barriga, principalmente porque tenho saudades é das minhas formas pré-gravidez e anseio muito mais ter o Pedro cá fora do que lá dentro.
Mas pensando bem, talvez as saudades da barriga surjam precisamente desse pormenor: por muito que custe aguentar as cãibras, os inchaços, a distensão muscular, carregando dia e noite quilos e quilos só de barriga e mais uns quantos no resto do corpo, sempre será uma felicidade egoísta e um super-poder o nosso filho ser só nosso e apenas crescer dentro de nós e não para longe de nós.

Isso e ter uma boa desculpa para uns quilos a mais e preocupações a menos, porque lapidar a gordura daqui para fora e lidar com todas as peripécias da maternidade vai ser dose de elefante!
Ai que eu ainda vou ter saudades disto!

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Leituras

Finalmente o meu querido marido encontrou O LIVRO de puericultura que prende a sua atenção, com cujo conteúdo concorda e pretende seguir. Aleluia!! Todos os outros livros levavam com um "É interessante, sim sim, eu leio-os, não te preocupes, eu vou passar-lhes os olhos...", mas este, desde que chegou às suas mãos, ainda não teve descanso e eu sou permanentemente chamada à atenção desta ou daquela passagem, que ele faz questão de me ler. Quando ele começa com as quotes de dois em dois minutos, eu sei que o modo Obcecado está activado. Por mim, óptimo. Lê tudo, Fofi, tudinho!

E que livro é esse? Ei-lo:

Tcharan!! Secrets of the Baby Whisperer, de Tracy Hogg, uma enfermeira com muuuuito saber, só vos digo. Se o nome ou a cara não parece estranho, é porque há alguns anos passou na Sic Mulher ou no Odisseia um programa de televisão com intervenções dela in extremis, resolvendo casos de criancinhas em crise e pais à beira da loucura, por conta de choros, apetites e sonos trocados.

Entrou na nossa vida por especial e urgente recomendação da minha irmã, a quem foi emprestada uma cópia e passou a agir como se estivesse na posse do livro MAIS ESPECTACULAR DO MUNDO. Tanto assim foi que devorou a versão Bebé, a qual confirmou muitas das suas posturas e escolhas na educação da Rica Sobrinha II e já tem a versão Toddler, que a miúda não pára de crescer e não quer que lhe falte nada. Obrigada pela dica!

Nós comprámo-lo aqui, onde até podem ler umas quantas páginas para ver se gostam. Nós cá, parece que sim, gostamos MUITO.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Desejo


Desejo para mim e para todas vocês grávidas e ainda não grávidas que por aqui passam e todas as grávidas do mundo e todas as que ainda hão-de estar grávidas, um parto tão bom como este, um episódio decisivo das suas vidas com um fim tão feliz como este. Não deixem de ler, e inspirem-se!!


Curiosamente, o estado de espírito e atitude perante o parto da Jo é precisamente o transmitido nas aulas de preparação para o parto que tenho frequentado, revi muito das aulas nele, só espero estar a absorver tudo e conseguir ter a mesma calma, concentração, força e espírito de colaboração que ela teve. Não há nada como uma grávida consciente e preparada, mesmo que saia tudo ao contrário do esperado, o que é bem provável... Para ti estou aqui, bebé, conta comigo!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Inconfessáveis


Eu bem queria... mas não consigo. Resistir à tentação é impossível. Ele é chocolate (After Eight, Kinder, preto, de leite, brigadeiros, petit gateaux, marcha tudo), ele é batatas fritas, ele é gelado, ele é pizza... Não consegui cortar com as porcarias como queria e todos os dias caio em tentação. Eu até faço uma alimentação saudável com montes de fruta, legumes, comidinha caseira, pouco sal e muita cor. Mas entretanto... Ou é um chocolatinho vindo por engano no carrinho do supermercado, ou é um pacotinho de Lays já na caixa do mini-mercado, ou vamos jantar uma pizza tão boa tão fininha, ou passamos por mil sabores de gelado, ou temos sobremesa, ou isto ou aquilo. Eu não tenho salvação, é escusado. O que vale é que o meu estômago é de aço e o meu metabolismo aguenta isto tudo e muito mais, são décadas de prática!

Quando o Pequeno Pedro nascer, vou criar uma gaveta secreta no meu quarto da qual ele nunca vai ter conhecimento, que vai estar sempre a abarrotar com todas as minhas porcarias preferidas, as de agora e as de antigamente.

Porque eu não quero que ele crie maus hábitos, nem coma porcarias, muito menos por ter um mau exemplo em casa.

...

Pronto, tem de ser, este é um post de inconfessáveis.
E ainda porque eu as minhas porcarias preferidas...

... não as divido. Nem com o meu filho.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Mommy on the go

Sarah Jessica Parker
Michelle Williams
Liv Tyler
Gwyneth Paltrow
Christy Turlington

Com o início de mais um ano lectivo, e para bem começar mais uma semana de labuta, aqui ficam algumas mães em pleno serviço de entrega. Para inspiração multi-usos: com cheiro a Outono, casual chic e para os mais piiquenos.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Contas


Ai que falta no máximo um mês... Ou pelo menos um mês... Ou ainda um mês... ou já só um mês...

Pequeno Pedro já tem três quilinhos e continua cabeçudo.

Já só falta um mês... Ainda falta um mês!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Inconfessáveis... Ou a arte da procrastinação


A cinco semanas no máximo de ter cá fora o pequeno Pedro...

... Ainda não tenho a mala da maternidade feita...

... Ainda não tratei de subsídios e burocracias várias...

... Ainda não tenho o quarto acabado...

... Ainda não tenho o necessaire do meu petit feito, tão pouco escolhido...

... Ainda não tenho carrinho (este não é culpa minha, mas não deixa de ser mais alguma coisa que me falta)...

... Ando so on, and so on...

Enfim, espero que o tal síndrome do ninho não seja mito e baixe em mim tipo AGORA e não a dias do parto, que eu tenho muito para fazer e poucas molas no rabo.
Agora vou tomar banho. Daqui a pouco.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Agora é que vai ser bonito...

Com a Zara on-line finalmente a bombar (bem, mais ou menos, ainda vai crashando muito...), basta encomendar via net os modelitos preferidos e ir levantá-los à loja mais próxima pelo mesmo preço de loja, sem portes de envio. Vai ser a LOUCURA! Para mim e para ele...

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Que dizes tu, bebé?

Topem-me esta teoria:

After testing her baby language theory on more than 1,000 infants around the world, Priscilla Dunstan says there are five words that all babies 0–3 months old say—regardless of race and culture:
Those "words" are actually sound reflexes, Priscilla says. "Babies all around the world have the same reflexes, and they therefore make the same sounds," she says. If parents don't respond to those reflexes, Priscilla says the baby will eventually stop using them.

Priscilla recommends that parents listen for those words in a baby's pre-cry before they start crying hysterically. She says there is no one sound that's harder to hear than others because it varies by individual. She also says some babies use some words more than others.
The Dunstan Baby Language system may set you on the road to interpreting your baby's cries. This program claims that sensations within babies evoke certain cries:
  • "Neh" = I'm hungry
  • "Owh" = I'm sleepy
  • "Eh" = I need to burp
  • "Eairh" = I'm gassy
  • "Heh" = I'm uncomfortable




Infelizmente apenas encontrei exemplos do primeiro som, o do início do choro de fome, lembro-me de ver este programa da Oprah na TV e os outros sons também se individualizam bem, mas nada como ouvi-los...





Nestes vídeos ouvem-se exemplos de todos, o último é até bastante completo, mas pode ser confuso distinguí-los...
Pelo visto, eu até acredito que pode haver diferentes sons e tipos de choros conforme as necessidades dos bebés, mas só enquanto o petiz não estiver desesperado da vida dele, o que pode fazer escapar estas subtilezas à mãe, que fica apenas com o choro desesperado para tentar acalmar. Além de que os sons podem confundir-se ou perder-se com o crescimento...

Acreditam nisto? Valerá a pena eu andar de orelha afiada e munida de cartões com os sons para tentar descodificar o pré-choro do meu baby? Ou será patranha ou ainda infelizmente uma teoria impossível ou pelo menos pouco provável?

Para o quarto do Pedro

Encontrei, por puro acaso, uma linha de decoração de quarto que complementa perfeitamente a base da decoração do quarto do Pedro. Acerto em cheio nas cores, entre o azul, verde e aqua, não há demasiada bonecada (umas peças mais que outras, vá...), confesso que não sou apreciadora... É de bonecada e de favas... Ainda por cima não é cara. E ainda, está à venda numa grande superfície, sempre à mão. Yay!


Linha Safari Friends na Toys R Us!
Para ir coleccionando
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...