INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Queria encomendar visão periférica para tam. 18 - 24, com urgência, sff



O meu doce Pedro, para chegar do ponto A ao ponto B, literalmente traça uma recta e percorre essa recta sem um desvio. Isso já eu sei desde que começou a gatinhar. Leva tudo atrás, pisa tudo, não se desvia um milímetro, não tira os olhos do objectivo um segundo.
Já a educadora nos disse, em relatório oficial, que o Pedro senta-se na primeira fila para ouvir a estorinha, mesmo que isso signifique passar por cima ou sentar-se em cima de um coleguinha. Que quer ser o primeiro da fila para ir ao parquinho, mesmo que isso implique abalroar os outros coleguinhas.
Ele vê o alvo e nada o desvia, quanto mais pára. Imensas vezes cai pelo caminho porque a mesa não se desvia, porque a caixa o faz tropeçar, onde já se viu tudo e todos, incluíndo objectos inanimados, não abrirem alas a sua excelência?
Nós explicamos, pedimos calma, ralhamos, clamamos  D E V A G A R, mas qual quê...
O problema é que ele vai coleccionando colisões e fugas. Outro dia fomos buscá-lo e ele veio a nós tão contente, tão directo, que nem viu a coleguinha à sua frente, chocou em cheio contra ela e a miúda caiu redonda no chão, de costas. Foi uma choradeira e o puto a olhar, com ar de "quem me trouxe?"
Ontem, fui buscá-lo e aparece-me a educadora com outro miúdo ao colo, eu inocentemente pergunto pelo galo gigantesco que tinha na testa e a resposta não tarda: "O Pedro queria chegar à estante dos livros e empurrou o D. contra a mesma..." Pimba, choque frontal. Um galo para me envergonhar e desculpar pelo Pedro.
Ele é tão destrambelhado, tão desastrado, tão saliente e trapalhão que às vezes desmorona do alto dos seus quase 90 cm sem que haja sequer obstáculo à sua frente.
Hoje fui chamada à atenção disso pela educadora, que me pediu muito ligeiramente para pedir à pediatra opinião de tanto hit and run. Eu fiquei surpreendida, sempre conheci o meu filho assim destravado como eu, que habitualmente vou contra ombreiras de portas porque não se desviaram do meu passo de gazela, e saliente como o pai, que sempre diz que a sua altura lhe trazia dissabores de coordenação. Mas algo mais sério do que destrambelhado nunca passou pela nossa cabeça.
No que toca ao Pedro, tento sempre pensar em cavalos e não em zebras quando oiço cascos a bater, não embarcar em auto-diagnósticos levianos porque vi uma reportagem alarmista na TV, pensar mais em "normal", do que em "especial", ou "anormal".
Pelo sim pelo não, não tarda temos a consulta dos 18 meses, mas espero do fundo do coração ouvir uma gargalhada da pediatra...

19 comentários:

Simplesmente Ana disse...

O meu sobrinho de 16 meses também é assim. Vai andando e nem olha para os objectos que estão pelo caminho. Vai psando tudo e, claro, tropeçando.

Elix disse...

Com certeza que a pediatra se vai rir, a mim parece-me super normal... é desajeitado... ;)

MissBlueEyes disse...

Hehehe é isso mesmo que vais ouvir! Cá em casa é assim. A mim faz-me confusão, porque me lembro sempre da história da galinha, que se tiver uma rede com meio metro de largura, e uma taça com comida do outro lado da rede ela não vai a volta, vai contra a rede, nem que para isso tenha que morrer. E é exactamente isso que acontece com o meu filho, para ir para qualquer sitio ou para ir buscar qualquer coisa, se tiver um obstáculo, tb não se desvia, grita esperneia as mãos começam a tremer enquanto faz força para tentar ultrapassar o obstáculo, quando eu lhe explico que basta andar a volta do mesmo para passar. Adianta alguma coisa? Nada, é como falar para uma parede, passados uns minutos faz a mesma coisa. E o meu filho tem 17 meses, faz 18m dia 20.

Por isso penso que não te deves preocupar. Mas nada melhor do que falar com o pediatra para ficarem descansados.

Beijinhos.

P.s, depois de falares com o pediatra, vem cá dizer o resultado. O S. tb tem pediatra dia 24, tb lhe vou falar nisso para ver a opinião dele.

batatas com maionese disse...

Ó Maria de Lurdes, eu tb daria uma gargalhada!
E também te diria outra coisa: típico dos rapazes.

Raquel Alves disse...

Não tenho dúvidas que a resposta vai ser a mesma que o pediatra da Laura deu quando andámos mais 'em cuidados' por causa da sua cabeça grande - 'está-lhe nos genes' ;)

Kiki disse...

Não sou a educadora do Pedro e nem o vejo no seu dia-a-dia. Mas parece-me uma coisa normal para a idade dele tendo em conta que, até aos 2 anos, o outro não existe. Apenas o eu, eu, eu! Daí eles quererem tudo para eles, daí eles quererem ser os primeiros, daí eles atropelarem o que estiver à frente para alcançar o seu objectivo! Assim de raspão acho que não te deves preocupar! :)

Maria de Lurdes disse...

Obrigada pelas vossas palavras, eu penso como vocês...
A educadora falava não só do levar tudo à frente mas sobretudo também do desiquilibrio, de às vezes cair do nada. Às vezes, por exemplo, vai pela mão e simplesmente cai, desmorona e não se levanta por nada! Eu acho sempre que é manha, mas vou estar mais atenta...

**SOFIA** disse...

muito bom :D
tão querido** eu até acho muito positivo ele ter um objetivo tão fixo, o facto de se desequilibrar torna a coisa mais fofinha :)

MissBlueEyes disse...

O meu filho tb se desequilibra muito, mas rapidamente se levanta, porque eu digo-lhe logo, toca a por a pé. E sou muito despreocupada nesse aspecto. Em casa da minha sogra ele cai, ela vai logo levantar o menino (coisa que me irrita solenemente, mas por mais que lhe diga D. F deixe estar, ela já o está a por a pé), cá em casa, se quiser que se levante. Ao início tb ficava a espera de ajuda, depois começou a aprender que tem que se desenrascar sozinho.

Muxy-Muxy disse...

Eu dou-te a gargalhada antecipada, for God sake, os miúdos dessa idade não têm travão no pensar. Passam à execução sem freio. Se são grandes e um nadinha Clumbsy então é vê-los a levar tudo à frente. Se ele tivesse um problema com a visão periférica tu já terias reparado. Caramba irrita-me a liberdade de diagnostico de algumas pessoas. Beijinhos

MarianaS disse...

Os bitaites que já mandaram ate agora só te podem tranquilizar...

cadernobeje disse...

Não te preocupes! Não vai ser nada. Até aos três anos da minha idade, os meus pais pensavam que eu tinha um atraso mental (eu saia do carro sem olhar p ver se vinham carros, via os desenhos animados com a cabeça de lado colada ao ecran,tinha um olho para a lua, batia com a cabeça no chão a toda a hora, ameaçava a minha avó de morte)... um dia "alguém" percebeu que eu tinha 9 dioptrias! Não tinha um atraso, apenas não via nada à frente (e a minha avó tinha uma voz estridente que me assustava, por isso é que eu reagia assim). Há sempre explicações simples que nada têm a ver com a criança ser "especial"... eu tinha muita falta de vista (hj em dia so preciso para ler), o teu pode ser apenas destrambilhado de feitio!

miriam disse...

vai ser gargalhada na certa =))) o jaime era assim, passou à medida que foi crescendo mas ainda agora, se for preciso, leva tudo à frente. a sofia que confirme!! =))
isso não é nada. é gajo!

Maria de Lurdes disse...

Obrigada a todas, bom saber das vossas experiências!
:))

Apesar de trapalhões, é bom saber que os nossos meninos não são trapalhões sozinhos e qualquer dia passa-lhes... ou não!

Anônimo disse...

Bom dia.
Um dos meus sobrinhos (tem hoje 9 anos) também caía por tudo e por nada. Às vezes parecia que tropeçava nos próprios pés, outras vezes não entendíamos. Passou-lhe!
Quanto à visão, também não custa nada ter uma opinião de um oftalmologista, não é nada de mais. E o ideal é entre os 18 meses e os 2 anos. Falo por esxperiência própria. Eu tenho problemas de visão (genéticos é certo), e levei a minha filha mais velha aos 6 meses ao oftalmologista, por indicação do pediatra. Mas só aos 18m foi detectado o mesmo problema que o meu. Aos 2 começou a correcção, mas ele tinha lá crianças ainda de colo a usarem já óculos. A mais pequenita tem agora 15 meses e também já foi vista pelo oftalmologista da mana, e ele já viu que, pelo menos não tem o problema da irmã, poderá ter algo parecido, mas não tão acentuado, e recomendou consulta entre os 18 meses e os 2 anos. Ele simplesmente vê os olhitos deles com aquelas luzinhas, só se detectar algo é que faz dilatação da retina com umas gotas. (o meu problema genético é ser míope do olho direito com mais de 10 dioptrias, e não ser nada, ou quase nada no esquerdo - a minha filha tem 7 anos e usa uma lente de contacto no olho direito só, mas dá-se lindamente!). Se for visão, quanto mais cedo melhor, porque pode ter correcção definitiva, ou não tendo, ele sentir-se-á muito melhor, e sendo isso, podes ter a certeza que acalma.

Mary of Cold disse...

Fico mais descansada por saber que o meu filho não está sozinho! :)
Não sei se atropela os colegas no infantário, mas que passa por cima de tudo o que se lhe atravessa à frente para chegar mais rapidamente ao objectivo, lá isso sim. Claro que isto depois dá direito a valentes quedas (noto que cai por tudo e por nada mais ao final do dia, quando já está mais cansado), brinquedos partidos, cabeçadas nas paredes ou nas ombreiras das portas, etc.
Eu acredito que as educadoras não o façam por mal, mas por vezes deixam-nos alarmadas sem grande motivo para tal. Da última vez que a educadora do meu filho me alertou para um tique que ele tinha de inclinar a cabeça para um dos lados com frequência, fiquei logo preocupada, quando afinal ele estava só na brincadeira e fazia aquilo quando já não queria comer. Entretanto deixou de fazer isso. Vai-se lá perceber!!

Su disse...

Será com certeza uma coisa normal da idade :D o Salvador é igual... descansa, mas sei que as palavras do pediatra é que irão sossegar o teu coração :)

Beijinhos mil

Susana disse...

Ola a todas, Não querendo alarmar ninguem, queria apenas alertar para que tenham sempre uma visão alerta sobre a forma de agir das crianças. Tenho um filho com sindrome de Asperger (espectro do autismo), e aos 18 meses eramos alertados para o facto de ele ser muito bruto, levar tudo a frente e puxar os cabelos dos coleguinhas. Na altura rimo-nos com esta situação, achamos que era tudo normal, e hoje em dia, sempre que penso nisso, sinto-me tão mal por ter oensado assim... Não me parece nada que seja o caso do Pedro :-), mas a todos, estejam sempre atentos ao que as educadores vos comunicam. beijinhos, Susana

Sónia disse...

De certeza que não vai ser nada, ele ainda é pequeno e não tem a noção do que faz!
Beijinhos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...