INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Leituras



A maior alegria dos pais é ver os filhos a serem bem sucedidos nos seus projectos. Infelizmente, muitos deles acham que o seu dever se resume a treiná-los para a roda da vida, esquecendo-se de que a maior herança que lhes podem deixar não é uma conta bancária recheada, mas aquela que é partilhada no dia a dia. É o seu filho, não é um hamster! mostra-nos que, no caminho para uma vida de sucesso, os filhos precisam mais de pais do que de treinadores.



A questão central apresentada por Kevin Leman é levar pais e mães a perceber até onde compensa sobrecarregar os filhos com tantas atividades. Embora o assunto seja sério e árduo, Leman trata do tema de forma agradável e levemente divertida. 

Uma questão muito actual e que já se começa a pôr no caso do Pedro, em que já somos confrontados com as actividades extra-curriculares e aulinhas disto e daquilo. Para já, ainda não sentimos essa necessidade, além do que já aprende no colégio, o que o Pedro mais precisa é de brincar. Brincar muito!



Da Nexo com

AS MARAVILHAS DA MATERNIDADE

6 comentários:

miriam disse...

penso muito nisto =) principalmente porque o jaime não é nada dado a actividades, para além de toda a actividade dele próprio que tu sabes :D...
depois de andar quase 2 anos de volta dele a tentar com que fosse para um desporto qualquer "jaime, e basket?", "não!", "e andebol?" "não!"... até que ele me responde "mãe, o meu desporto é brincar e fazer desenhos!"... arrumou-me!

MarianaS disse...

Ora aqui está um tema que me interessa bastante! Acho que há, actualmente, uma tendência para colocar os miúdos em 1001 actividades, para que eles sejam excelentes em tudo e para que não falhem nenhuma oportunidade...Deixem as crianças brincar!

Simplesmente Ana disse...

Concordo. A minha filha faz ballet no colégio, na hora de "expediente", ou seja, não a vou buscar mais tarde por causa da actividade extra. Lembro-me de adorar ter tardes livres, sem Inglês ou desporto. Era um tempo só para mim. E era mesmo bom.

Anônimo disse...

Há pouco tempo li o livro Simplicity Parenting (que recomendo vivamente), que vai no mesmo sentido. Uma alteração que fizemos, como resultado dessa leitura, foi aumentarmos as rotinas cá por casa e vermos muito menos televisão, ficando mais tempo para conversarmos todos ao jantar. Mais vale tarde do que nunca é a minha filha de 11 anos agradece. E a mana que vai nascer tb :)
Inês

uba disse...

Já anotei a dica bibliográfica.
Concordo, não podemos assoberbar as nossas crianças com actividades. Eles têm de brincar, brincar, de preferência no exterior! :)

'O DIÁRIO' por Mãe Solteira disse...

Um menino de seis anos foi convidado para entrar na escola de futebol do Benfica. Os pais aceitaram sem pestanejar. Três vezes por semana fazem trezentos quilómetros para levar o menino ao futebol depois do dia de trabalho/escola. Todos os dias esta criança ouve a cobrança destes 'o favor' que os pais lhes estão a fazer e todos os dias os pais pensam no futuro encostado a uma palmeira a ler uma revista enquanto o seu ainda pequeno Ronaldo lhes garantirá o pagamento das contas. Há demasiadas crianças-negócio

O meu filho joga futebol desde os cinco anos, tem, dizem os entendidos, a mais-valia de chutar a bola com os dois pés, no entanto nunca se empenhou ou puxou muito para se dedicar, no dia que me disse que queria desistir, que estava cansado eu fui a primeira a apoiar a sua saída. O meu filho não será nunca o negócio da minha vida

(visto que nem pela pensão de alimentos eu já continuo a lutar)

As actividades infantis são muito usadas para ocupar as crianças quando os pais não sabem que mais fazer com elas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...