INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Toda a razão


 Desta vez o Pedro tirou a barriga da miséria. Chorou a bem chorar, foi muito consolado e com toda a razão.
Ontem fomos às vacinas e não se fez a coisa por menos, levou três, duas no mesmo braço, a doerem a valer. Coitadinho, o que ele chorou. A incredulidade no olhar dele, a ver a enfermeira com um ar tão simpático, a espetar-lhe uma agulha no braço. "Mas o que foi isto, que me matam! E vem aí outra, não acredito!"

Eu segurei-o bem seguro, para que nada corresse ao lado e até fiquei cheia de peninha dele, eu que não sou nada de me condoer com dores de vacinas. Nunca fui piegas com as minhas vacinas, nunca fui piegas com as dele. Se ele chora, não vou chorar eu também, não vou enervar-me nem ficar ansiosa, vou mas é manter a calma para ajudar a acalmar-se ele. E o facto é que esta foi a primeira vez que chorou a bem chorar, então nos primeiros meses nem ele chorava, quanto mais. Sempre tive bem presente que o ganho é muito superior àquela dor momentanea, não custa nada. E para que fique a vacina bem dada não pode haver drama. Uma febre ou uma reação mais forte é uma possibilidade com a qual há que lidar, mais uma vez, sem dramas. Além de que sempre se poupa a enfermeira (ou enfermeiro, que já me calhou duas vezes) a tratar da mãe além do filho, eles já devem ter assistido a cenas deprimentes de mães extremosas que chegue...
De facto, a Sra. enfermeira que nos atendeu deve ter ficado impressionada com a relativa limpeza que aquilo foi. Mãe distrai o filho, mãe impede que o filho mexa nas coisas que estão na secretária, mãe segura forte no filho sem drama, filho a chorar e mãe a consolar muito ao mesmo tempo que pergunta onde é a próxima, mãe não chora nem pestaneja, mãe consola muito, abraça muito, mas só quer saber de efeitos secundários. No fim da visita, depois de 10 minutos de choro, que aquilo doeu mesmo e o Pedro também fez render os últimos minutinhos, vá, e mãe consolou, que continuava com peninha, pronto, já o Pedro estava ao colo da enfermeira com as pazes feitas e promessa de nova visita, mas só daqui a uns meses, ninguém leva a mal!  Antes de me ir embora perguntou-me se era o meu primeiro filho... Eu ri-me e disse que sim. Ela riu-se também. Estávamos entendidas.


Mas será que é suposto as mães (de primeira viagem) serem assim tão piegas? Ou estará a sociedade já tão mal habituada com tudo a fazer mossa, tão sensível a tudo, até vacinas, que espera reações dramáticas? Ou estarei mesmo destinada a ser rotulada de insensível (quiça pouco amorosa, pouco "humana") porque entendo que não pode haver motivo para eu chorar quando há motivo para o meu filho chorar, bem pelo contrário?

Anyway, hoje ficamos por casa. O Pedro acordou choroso, febril e dorido, bateu forte esta sessão de picadelas, tadinho...

12 comentários:

Elix disse...

Olha eu sou exactamente como tu... acho que é um mal necessário, uma coisa que custa mas tem que ser e se tem que ser para quê drama??! A minha filha chora, mas passa, são pequenas dores com as quais ela tem mesmo que lidar (penso eu que para não ter que lidar com dores maiores) e eu estou aqui, não para chorar com ela, mas para a consolar e dizer já passou, dar-lhe beijinhos e abracinhos dizento que esta já foi...
Ainda ontem na pediatra foi o drama e horror, foi a choradeira... parecia que a estavam a matar... e eu enquanto a vestia, ou tentava, ía fazendo as perguntas necessárias.... não sou insensível, só sou realista... penso eu!!!!

Simplesmente Ana disse...

Eu sou muito meiga e sensível e sou acusada de dizer poucos nãos à minha filha, mas nos consultórios não me apanham com pieguices. Acho despropositado que uma mãe chore e transmita insegurança ao filho. Ao fim e ao cabo, as vacinas são rápidas e são para o bem deles. Quando a minha filha partiu a cabeça, dei-lhe todo o mimo na sala de cirurgia, muitas palavras doces e arranquei-a da marquesa mal acabou a "cosidela", mas mantive-me sempre serena e a agarrá-la. Tem que ser. Há coisas que são negociáveis, mas estas coisas não são. Como tal, devem devem encarar-se da melhor forma. Sem dramas.

Simplesmente Ana disse...

Um conselho: não levem as avós para os consultórios. Até podiam ter sido "duras" com os filhos, mas com os netos...portam-se pior que eles. Ai coitadinha, ai isto e aquilo ;) Never again!

batata-frita-mãe disse...

Acho que os homens são muito piores nessas coisas.

Kiki disse...

Eu também sou assim! E acho que isso é bom para eles! Para não ficarem mais nervosos ainda... :)
As únicas vezes que chorei à frente deles foi quando a Gigi foi fazer o teste do pézinho! Não estava preparada para tanta violência e só me apeteceu espancar a enfermeira... (do Vicente já foi melhor porque já sabia ao que ia...) E quando espetaram a agulha do soro ao Vicente quando foi internado com apenas 1 mês! Mas foi mais pela situação do que outra coisa... Porque ele nem pestanejou!
Coração de mãe é de aço, aguenta tudo!!! :))))

**SOFIA** disse...

eu acho graça é quando as enfermeiras são as primeiras a virem com o discurso "vamos lá minha querida, que esta senhora má vai-te dar uma picazita"... eu começo a ouvir isto e reviro logo os olhos :S

é dar e acabou, cada um com as suas dores e resistências :D eu sou solidária com o sofrimento da minha filha e com o de todas as crianças que levam vacinas, mas credo, são só uns segundinhos, vá!

e sim, levar as avós para qualquer evento deste género deve ser para esquecer :D

Nair disse...

Quando o meu filho tinha 8 meses (inverno de 2010/2011) ficou com uma bronquilote, estivemos hospitalizados uma noite, e durante a noite o cateter do braço saiu e tiveram que o picar na perna, eu consegui segurá-lo e consolá-lo, mas aquilo ainda levou uns bons 15 min. com muito choro, por fim o enfermeiro perguntou: "É mãe de primeira viagem?", sou porquê?, "Normalmente as mães de primeira viagem ou desmaiam, ou gritam ou agrediem os enfermeiros"...sem palavras...

Maria de Lurdes disse...

É bom que haja mães de primeira viagem a dar bom nome à causa! Bem e levar as avos deve ser mm para esquecer, parece que nem criaram filhos...

MissBlueEyes disse...

MAria de Lurdes, tendo os nossos pequenos mais ou menos a mesma idade, levou tres picadelas? É que fui hoje com o meu pimpolho, ele também ficou choroso durante a picadela e os 2 minutos seguintes, e eu só lhe dou mimo e digo que já passa. Não vou chorar tb, porque é para o bem dele, todos nós tomamos e estamos cá.

Mas agora fiquei a pensar, mas o S. só tomou duas. Sabes me dizer que vacinas tomou, desculpa estar a fazer esta pergunta,mas como eu dou todas as vacinas e mais algumas, fiquei a pensar, se existe alguma sem ser do SNS que poderia dar e não dei.

Maria de Lurdes disse...

MissBE,
A terceira vacina foi o reforço da Prevenar 13, não faz parte do plano nacional de vacinação. Com muita pena porque é cara!

**SOFIA** disse...

levar ou não 3 vacinas creio que depende do pediatra/médico que assiste a criança. na altura em que a nossa leonor deveria ter levado 3 vacinas, uma delas, certamente a prevenar, ficou adiada para a sessão seguinte. não há prejuízo para a saúde e assim se poupa o massacre de espetadelas ;)

MissBlueEyes disse...

Ah... essa o Salvador fez o mês passado. Sem ser do plano dei a Prevenar e a Rotarix. Caras como tudo. Mas mais vale prevenir :)

Obrigada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...