INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

terça-feira, 31 de julho de 2012

À prova de bala

Mais uma de todas as alturas em que valorizo à brava este homem que me calhou na rifa: quando preciso de usar uma pulseira com presilha e a sacaninha não está propriamente a cooperar.
Uma palavra, um pedido, dois passos, e o meu homem apertou a pulseira.
Estou pronta para sair.

É que eu lembro-me bem do dia em que rebentei a chorar por não ter quem me apertasse a sacana da pulseira. Eu sozinha no quarto, às voltas com aquilo, atrasada, olhava à minha volta e toda eu era solteira. Foi uma cena patética, eu não tinha quem me apertasse a pulseira. Chorei. Antes muerta que sencilla, e que derrotada muito menos, chorei enquanto apertava a sacana da pulseira e consegui, mas perdi o dobro do tempo, o triplo, uma vida.

Nestas ridículas pequenas coisas se centra o bom do amor: além de nos alimentar a alma, nos facilita a vida, faz do nosso mundo um jogo de equipa em vez de uma maratona solitária. Eu sou mais eu e sou muito bem eu sozinha, mas o meu eu bem acompanhada é melhor. E mais produtivo.

Pelo sim pelo não, aqui ficam algumas sugestões de pulseiras bem giras à prova de desgostos de amor:

 Lanidor
 Massimo Dutti

 Hermès

Cinco
 Promod
Stradivarius


5 comentários:

Jo disse...

Ah ah ah ;) Há pulseiras tramadas...!!

Kiki - Família de 3 e 1/2 disse...

hahahahahah Adorei a introdução!

MarianaS disse...

Muito bom!

Vecas disse...

Sempre bom vir aqui para esboçar um sorriso com a tua escrita minha querida:-), a mim já me aconteceu exatamente o mesmo! e penso maldita pulseira, perco tempo e mais que tempo, até que desisto das manobras de a tentar colocar e saio enraivecida pela porta fora!

Vecas disse...

:-), é tão verdade, verdadinha!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...