INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

sábado, 3 de novembro de 2012

Inconfessáveis



Este post devia vir com uma redoma anti maridón. Ele não devia ler isto.

É que, por muito que me custe admiti-lo, porque eu sou a primeira a reinvindicar a sua presença, a queixar-me da sua ausência, a sentir a sua falta, porque me faltam sempre os braços para dar conta de tudo,
mas,

quando estou só eu e o Pedro na rotina de fim de dia, tenho a sensação que nos despachamos mais rapidamente e de forma mais suave do que quando estamos com o pai... pois é...
É que o meu marido... digamos assim,
ele é a alegria da casa.
Por cá, os furacões têm sempre nome masculino e é sempre o mesmo... Acho que até é mais para os lados de um anti-ciclone, ou um El Niño de trazer por casa, assim uma espécie de El Maridón.

Ele chega sempre muito cheio de confusão, fala alto, esbraceja, espalha coisas por todo o lado, nós falamos e eu esqueço o jantar ao lume, distrai o miúdo, que fica todo excitado, leva-nos para o sofá e está tudo descarrilado.
E depois sou eu a exigir que ele entre nas tarefas e ele fica agarrado ao computador ou ao sofá e eu arrasto-me e tudo atrasa, nem eu sei bem como. Só sei que quando ele está em casa antes das sete, é sempre uma confusão.
Quando eu estou sozinha com o Pedro as coisas têm de resultar feitas e vai tudo em série, até o miúdo sossega, com ele, somos dois e é a confusão total... E ele participa sempre!
E se antigamente corria tudo melhor, agora com o Pedro mais crescido e a tentar por tudo escapar de tudo, o pai é um aliado improvável, mas acaba por ser ideal...

Estou tramada com isto... Querer o marido em casa mais cedo, para participar de tudo, ainda que isso resulte em  mais confusão...
Põe contradição nisto.

9 comentários:

batatas com maionese disse...

Não estás sozinha.
A minha irmã diz que prefere que o marido chegue tarde, que quando chega mais cedo os putos ficam todos excitados e a cena descarrila.
Eu pessoalmente prefiro que chegue cedo, para sermos dois a brincar e a dar atenção. Sinto-me um polvo quando sou só eu e o miúdo.

Ovelha Flor Guerreira disse...

Eu gosto muito da ajuda do meu marido e da sua presença. Mas irrita-me solenemente quando estou a tratar da higiene delas ou a deita-las as brincadeiras dele, porque as deixam completamente alucinadas e cheias de energia!

Marta disse...

Só te digo, quando o meu está para fora acontece-me exactamente o mesmo.
Quando ele liga a determinada hora e lhe digo: já jantamos, a cozinha está arrumada e estão prontas para ir para a cama! ele fica sempre entre o espantada e o indignado de como nunca é assim tão fácil e rápido quando ele não está. Na verdade não tem nada de fácil mas não há distraçoes nem desvios à rotina.
Acho que é mal geral.

**SOFIA** disse...

bem, eu sou a nódoa estou a ver. aqui as coisas piam sempre mais fino com o pai :DDD eu distraio-me imenso com as horas e a leonor leva-me sempre a fazer coisas indesejáveis :DD

Raquel disse...

ML comigo é a mesma coisa! Quando estava sozinha e o marido estava a residir no estrangeiro, eu estava gravida com um graaaaande barrigão e, ainda assim, despachava-me em "menos de um fósforo"! Quando o pai se mete ao barulho, agora que cá está, é o descalabro! Acho que prefiro ser polvo para despachar a "tropa toda" (M. de 5 meses e J. de 20 meses)!
Beijinhos

Marta disse...

Li agora o meu comentário anterior. Que confusão! Escrever no telemóvel tem disto mas acho que deu para entender. No fundo é que eles nos fazem falta mas sem eles não ficamos atadinhas, pelo contrário!

Sónia disse...

lol É bom ver que não sou a única a sofrer desse mal!

Elix disse...

Realmente é um contra-censo mas acontece-me o mesmo! Acho que nós somos mais práticas, apesar de mais carinhosas, mas os miúdos também precisam dessa "atenção" que só os pais conseguem dar... bjs*

Anônimo disse...

Ao ler este texto revi-me plenamente nesta situação. Junto-me à causa!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...