INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

sexta-feira, 24 de maio de 2013

A Bomba-Relógio

Sempre ouvi dizer que o primeiro filho é o choque da tua vida, levas uma ripada que nunca mais te endireitas. Podes e deves e consegues voltar a levantar-te, mas nunca mais te endireitas, muda a tua vida para sempre. Confirmo.
E sempre ouvi dizer que ter o primeiro filho é duro, mas que duro MESMO é passar do primeiro para o segundo. Tão duro que, do segundo para o terceiro, é mais um prato na mesa, é um perdido por cem, perdido por mil. O segundo instala uma confusão irreversível tão grande que vir o terceiro é mais um, a paz já era passado mesmo, who cares?
Mas que sim, ir tudo aos ares de vez é do primeiro para o segundo, porque tens o segundo a mamar e o primeiro a berrar, o primeiro a berrar e o segundo a não conseguir dormir - e consequentemente, a berrar, o segundo a berrar e o primeiro quase a acordar. E quando finalmente tudo é silêncio, passam dez minutos e o dia seguinte toca no despertador orgânico personalizado lá da casa - é o primeiro a acordar às sete e meia da manhã, fresquinho e pronto para um novo dia. Um novo dia de outras tropelias que tais.

E eu oiço estas conversas e se antes elas me impressionavam, neste momento deixam-me cheínha de medo... É que eu tenho o segundo na barriga. E desta vez nada nem ninguém me convence que eu tenho o Rei na barriga, eu sinto que tenho sim A bomba-relógio na barriga. Que vai rebentar com estrondo no momento em que mo puserem no colo pela primeira vez...

Faltam vinte semanas para a minha bomba relógio rebentar.
Tic-tac-tic-tac

8 comentários:

vidasdanossavida disse...

E, de facto, é um bocadinho alucinante. O meu pequenino fez ontem um mês e o mais velho tem 3 e meio e sim, é a loucura. Temos a sensação que não temos tempo para nada, e não temos mesmo, e que eles sao dois a precisar de atenção, alimento, mimos, banhos e afins e nós somos só uma.... Mas é delicioso. E espero que à medida que as semanas passem as coisas simplifiquem. Quem dá mais trabalho é o mais velho, ao contrario do que podíamos imaginar, bjs

Me disse...

Na minha primeira gravidez tive gemeas... Nasceram ha um mes e meio. Estamos a sobreviver :) mas sim foi um estrondo na minha vida. De dois passamos a quatro. Tudo ha-de resolver-se! Bjs

Jardim de Algodão Doce disse...

Eu não senti tanto isso, do primeiro para o segundo porque têm alguma diferença de idades e o mais velho já era perfeitamente autónomo e jánão berrava :) mas sei que vou sentir isso agora com o teceiro a caminho, pois vão ter 21 meses de diferença, ele e o segundo filho. Faltam 5 semanas para a minha bomba rebentar. Acredito que iremos sobreviver ML. Calma!

CláuDia disse...

:)))e que venha a bomba relogio:)...aiii ja estou a ver o que me espera ,assim que decidir mandar vir o 2º
beijinhooo

Chris disse...

Eu não achei diferença. Fiquei gravida do 2º tinha a 1ª 18 meses. Costumo dizer " tudo seguido é que é". Já agora da 3ª não posso dizer o mesmo...talvez por haver 5 anos de diferença , ou eu já ter passado os 30 anos. Mas que custa, custa! Hihihiih.
Já só falta metade e tudo vai ser maravilhoso! Amor a dobrar, beijos a dobrar, orgulho de mãe a dobrar. Eu não achei que desse trabalho a dobrar. Se fores como vai correr tudo super bem ( mas cuidado quando mandares vir o 3º !!!)
Abraço e tudo de bom

Anônimo disse...

No worries. Eu tive a 2ª quando a 1ª tinha 1 ano e 3 meses.Costumo-me imenso o fim da gravidez mas o facto de terem pouca diferença de idade fez com que ficassem nos mesmos horários e rotinas muito rapidamente. Não senti grande alterações no dia a dia. Tenho agora um 3º que nasceu quando as rimãs tinha 5 e 3, e aí sim foi um choque: já não havia fraldas, nem biberões nem nada do género e voltámos à casa de partida. Foram uns primeiros meses meio atordoados :)
Mafalda

Ana disse...

Olá. Eu vou no meu primeiro, com 16 meses, mas quero mais! O meu filho é bastante calminho, não me posso queixar. Mas também já pensei que com mais um, o trabalho não duplica, quadriplica! Porque depois há a interacção entre eles e o puxar das malandrices e das birras... mas mais ainda, acho que isso será mais nos primeiros tempos, porque passados os primeiros anos, acredito que a companhia que fazem um ao outro também alivia os pais. Seja como for, o melhor é não pensar muito e atirar-se de cabeça! Felicidades!!
E quando quiser passe no meu blogue recem-nascido, dedicado aos rapazes, para consolar as mães que não podem embonecar as princesas como eu ;)
http://tenhoumrapaz.blogspot.pt/

Beta disse...

Ui, tão verdade.. Assino por baixo!
Mãe do Tomás - 5 anos e da Mafalda - 7 meses...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...